Membros da Comissão Executiva

A importância do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa para o desenvolvimento da Sociedade e da Ciência

O principal objetivo do Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa (CEAUL), criado em 1975, é contribuir para o avanço e uso adequado da Estatística em Portugal. Marília Antunes, coordenadora do CEAUL e docente há 30 anos, expõe os atuais e futuros desafios para o centro que foi o berço da investigação em Probabilidade e Estatística no nosso país.

Perspetiva Atual: O Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa foi criado em 1975, pelo Professor J. Tiago de Oliveira. Com que intuito nasceu este centro e que áreas de especialização abrange?

Marília Antunes: O CEAUL foi o berço da investigação em Probabilidade e Estatística em Portugal. A existência do Centro, juntamente com o encorajamento e a confiança que o Professor Tiago de Oliveira transmitia às gerações mais novas, permitiu que uma nova geração de investigadores se formasse nestas áreas. O que levou, nomeadamente, ao aparecimento da “Escola de Extremos (e Avaliação de Risco)” em Portugal, atualmente reconhecida pela comunidade científica internacional, e ao desenvolvimento de outras áreas como Amostragem, Processos Estocásticos, Estatística Bayesiana, Estatística Ambiental e Bioestatística.

No seu início, o CEAUL albergou as ciências da Computação e Investigação Operacional. Com o grande desenvolvimento verificado nos anos 80, as Ciências da Computação autonomizaram-se e, mais tarde, já nos anos 90, deu-se a separação da Investigação Operacional. Atualmente, o CEAUL tem um caráter interdisciplinar com várias áreas de aplicação: saúde, educação, pescas, incêndios florestais, seguros, riscos naturais, risco financeiro, aprendizagem automática, entre outras.

PA: De que forma é que a atividade realizada pela equipa do CEAUL contribui continuadamente para o avanço do conhecimento em estatística e suas aplicações?

MA: Alguns membros dedicam-se a desenvolvimentos mais fundamentais na área da Estatística, outros a desenvolvimentos metodológicos suscitados por questões de índole prática e há ainda membros que se dedicam, essencialmente, a aplicações avançadas da Estatística nas outras ciências. As três frentes são importantes para o desenvolvimento da ciência e da sociedade. Na investigação, o trabalho colaborativo tem ainda a vantagem de permitir identificar necessidades em termos metodológicos. Nestas parcerias são desenvolvidas, frequentemente, teses de mestrado e doutoramento contendo avanços nas diferentes áreas.

PA: Relativamente à Professora Marília Antunes, poderia fornecer-nos uma visão geral da sua carreira profissional, antes de chegar ao Centro de Estatística e Aplicações da Universidade de Lisboa? Quais os principais desafios com que já se deparou enquanto coordenadora do CEAUL?

MA: Assumi a coordenação do CEAUL no início deste ano e está a ser deveras desafiador. Passei de membro de equipa a líder de equipa, sem deixar de me sentir membro. Na bagagem, trago trinta anos de carreira docente e de investigação ao longo dos quais passei também por cargos de gestão no departamento e na faculdade, pela coordenação de ciclos de estudos e pela participação na direção da Sociedade Portuguesa de Estatística. A liderança de projetos também me ajudou a desenvolver a capacidade de gerir equipas e financiamento. 
O grande desafio para este ciclo de coordenação é fortalecer o CEAUL, fazendo-o crescer com olhos postos na excelência. Reforçar parcerias, dinamizar a internacionalização e atrair talento, sem esquecer que o maior capital que detemos é o humano. Estou confiante que iremos longe, pois vamos juntos, somos uma equipa.

PA: Voltando à estrutura e atividade do CEAUL, de que modo estão organizados os grupos de investigação do Centro?
MA: O CEAUL não tem grupos de investigação formais, embora estes acabem sempre por surgir naturalmente, aproximando os investigadores com interesses comuns. Acho que a não existência de grupos formais dentro do CEAUL, pode apresentar-se como uma vantagem, no sentido de cultivar o sentimento de pertença a uma mesma unidade.

PA: Poderia dar alguns exemplos de projetos ou iniciativas importantes que o CEAUL tenha liderado ou em que tenha participado recentemente? Relativamente aos que estão neste momento em execução, existe algum projeto que esteja a suscitar uma maior expectativa na comunidade do CEAUL ou na comunidade científica, em geral?
MA: O CEAUL conta com uma lista longa de projetos nas áreas da Teoria de Valores Extremos e Estatística Espacial, alguns destes com aplicações muito concretas e de muito interesse para a sociedade, como a ocorrência de eventos meteorológicos extremos com danos na rede de distribuição de eletricidade e fogos florestais de elevada dimensão. Outros exemplos são projetos na área das pescas, com foco na distribuição e abundância das espécies, e na agricultura. A área da saúde conta também com forte participação do CEAUL, tanto em projetos nacionais, como internacionais. No contexto de combate à COVID-19, estivemos também presentes na luta contra a desinformação e na utilização de águas residuais como formas de deteção precoce de novos surtos da epidemia. Destaco, também, dois projetos internacionais multidisciplinares, um na área do envelhecimento (PERSSILAA) e outro na área do cancro (CINDERELLA), em que o CEAUL lidera a componente estatística. Estes são apenas alguns exemplos.

PA: Quais são os desafios atuais e futuros para a investigação em Estatística e Aplicações? O CEAUL está preparado para enfrentar esses desafios e continuar a avançar na sua missão de liderar a investigação nesta área?

MA: Vivemos uma época de aceleração, de alta velocidade, de volumes enormes de dados, de desejo de respostas quase instantâneas e de uma grande valorização do automático. Acho que o desafio para a Estatística é o da adequação das metodologias ao novo paradigma e, claro, continuar a inovar. No CEAUL, trabalhamos para sermos atores dessa evolução. Tal passa pelo desenvolvimento de projetos próprios e em parceria, tanto com investigadores de outras áreas, como com instituições e empresas. Estes últimos reconhecem cada vez mais o valor da integração da ciência na sua atividade, enquanto alavanca para a competitividade. Neste propósito, o CEAUL integra a rede PT-MATHS-IN, o núcleo português da European Service Network of Mathematics for Industry and Innovation – EU-MATHS-IN.

PA: O Centro de Estatística e Aplicações está ligado ao Departamento de Estatística e Investigação Operacional (DEIO) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL), o que garante ao CEAUL todos os meios e infraestruturas necessárias para a prossecução das suas atividades. Esta ligação com a faculdade é também uma mais-valia para os estudantes? De que modo é que o CEAUL está envolvido na formação de novos profissionais destas áreas?

MA: O CEAUL é uma mais-valia para os estudantes das áreas da Estatística e da Matemática Aplicada e também para alunos das áreas das Ciências da Vida interessados numa vertente mais quantitativa. Há já vários anos que o CEAUL promove a integração de alunos em estágios em ambiente empresarial e em instituições ligadas à investigação, sempre com orientação de membros do CEAUL. Temos também um programa de bolsas de iniciação à investigação para alunos de licenciatura, bolsas de investigação para estudantes de mestrado e bolsas de doutoramento.

PA: Relativamente à difusão de conhecimento, como é realizada a transmissão dos resultados dos estudos do CEAUL para a comunidade científica e para a população em geral? É importante que a sociedade esteja devidamente informada sobre estas áreas? Por quê? 

MA: Para além dos seminários regulares, abertos à comunidade, estamos também presentes nas redes sociais (Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram). O CEAUL, através de alguns dos seus membros, e envolvendo jovens estudantes de licenciatura e mestrado, foi um parceiro importante para a rubrica Dados Contados do programa Europa Minha, da RTP. Tratou-se do que entendemos ser, também, a nossa missão: promover a comunicação rigorosa de números e a literacia estatística. Nos últimos anos, membros do CEAUL têm também publicado artigos de opinião em jornais de circulação nacional sobre a importância da Estatística para uma cidadania efetiva e contra a desinformação e o inadequado uso da Estatística em determinados contextos, nomeadamente na área da saúde, como ocorreu durante a pandemia de COVID-19.

PA: A nível económico, além do apoio da FCT, que programas sustentam a atividade do CEAUL?
MA: Há muito que dirigimos esforços para a geração de receitas próprias. Estas são um importante complemento no financiamento da atividade científica dos membros e permitem impulsionar a formação de jovens investigadores através de bolsas. As receitas têm origem em prestações de serviços de consultoria e de ações de formação.

PA: Quais são as grandes metas da atual direção do Centro para os próximos anos?
MA:
Somos sempre ambiciosos. Queremos produzir mais e melhor ciência, servir mais e melhor a sociedade. Para isso, precisamos de crescer. Uma das grandes metas é, por isso, a aposta na captação de jovens investigadores, contrariando a fuga dos alunos mais talentosos para as empresas. Esta é uma tarefa muito difícil, pois na nossa área o desemprego é residual, mas a vontade de o fazer é grande. É pelos jovens que passa o futuro.

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...