Faculdade de Letras: um lugar para ser, pensar e descobrir

Rita Rodrigues, aluna da licenciatura em Estudos Gerais e Embaixadora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, partilha o seu testemunho sobre o curso de “formato único” e a sua experiência enquanto estudante da FLUL.

Em setembro de 2020 comecei a minha Licenciatura na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL). Escolhi Letras por ser a casa do curso de Estudos Gerais. Uma licenciatura única em Portugal que permite aos estudantes construírem o seu currículo com base nos seus interesses. Na verdade, posso dizer que foi o curso de Estudos Gerais que me levou à FLUL. Esta, por sua vez, proporcionou-me três anos de estudos repletos de conhecimento, desafios e alegria. 

Estudos Gerais: o curso de “formato único”

Candidatei-me a Estudos Gerais justamente pelo seu formato único que permite combinar as mais diversas áreas de estudo e frequentar disciplinas em várias escolas da Universidade de Lisboa. Constituído por um Tronco Comum – que assegura a pluridisciplinaridade do curso, com apenas três disciplinas obrigatórias – e por um leque de opções Majors e Minors quase ilimitado, Estudos Gerais está unicamente desenhado para cada estudante montar o seu percurso académico. Aliás, não é o único curso na faculdade que oferece essa liberdade aos estudantes. Cursos como Artes e Humanidades ou Línguas Literaturas e Culturas estão também organizados no formato de Majors e Minors. Estes cursos também oferecem aos alunos várias opções, embora possuam uma estrutura um pouco mais limitada.

A oferta curricular da FLUL é deslumbrante. A variedade interminável de disciplinas e de áreas de estudo é extraordinária. Por exemplo, o meu percurso académico em Estudos Gerais focou-se essencialmente na Faculdade de Letras, tendo feito uma Major em Estudos Norte-Americanos combinada com duas Minors, uma em Artes do Espetáculo e outra em Matemática. A disciplina de Matemática foi a única feita fora, na Faculdade de Ciências.

“Estudar nunca foi só uma obrigação, mas sim um processo de autodescoberta”

Ao longo destes três anos, senti-me sempre muito sortuda. Em grande parte por estar rodeada de pessoas que partilhavam o mesmo gosto pela aprendizagem, pelo estímulo intelectual e pelo aumento de conhecimento. Um espaço onde esse conhecimento pode ser adquirido por necessidade e com vista ao futuro, mas acima de tudo, e na sua maioria, com grande entusiasmo e prazer. Foram inúmeras as vezes que me sentei com colegas em debates de grande furor sobre que cadeiras e tópicos estávamos mais entusiasmados por estudar num determinado semestre. Em Letras, ao meu redor, estudar nunca foi só uma obrigação, mas sim um processo de autodescoberta. Por vezes árduo e desafiante, mas sempre muito recompensador. Foram raras as pessoas com quem me cruzei durante os três anos de licenciatura, que não falassem de forma verdadeiramente apaixonada e inspiradora sobre o seu curso e as cadeiras que estivessem a fazer no momento.

Mobilidade Internacional

Não podia deixar de mencionar uma das maiores mais-valias que esta Escola oferece, na minha opinião: os programas de mobilidade internacional. De facto, não há experiência mais enriquecedora do que um semestre em Erasmus ou num programa de intercâmbio. Sinto-me grata por a faculdade me ter proporcionado a oportunidade de fazer um semestre no estrangeiro. Estudei três meses no Reino Unido, no King’s College London. Para além disso, a faculdade tem um catálogo impressionante de acordos académicos com países como Itália, França, Países Baixos, Eslovénia, Polónia, Roménia, etc..

Vida na FLUL

É importante ressalvar que, havendo lugar para enaltecer e apontar as melhores características da Faculdade de Letras, tem de haver também lugar para avaliar certos aspetos com uma lente crítica de forma a evoluirmos sempre para um lugar positivo, como, por exemplo, questões de acessibilidade, nomeadamente, barreiras de inclusão em termos de mobilidade.

O ambiente na faculdade é acolhedor, inclusivo e, face aos desafios atuais do mundo, refrescante. É um local seguro onde cada pessoa pode ser quem é sem receios. Um sítio onde um olhar de lado é substituído por um elogio. Onde as pessoas se unem por interesses comuns e se esforçam por se libertar de preconceitos e onde há liberdade para se ser diferente. Em Letras, protestos estudantis não se inibem. A linguagem inclusiva predomina e a liberdade de pensamento prevalece em detrimento da formatação. Em retrospetiva dos meus três anos em Letras, e analisando todos os bons momentos, desafios e obstáculos pelos quais passei, recomendo sem hesitar uma licenciatura – ou qualquer outro grau de estudos – na Faculdade de Letras que se tornou, para mim, uma segunda casa.

Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa

A Faculdade de Letras é a maior Escola de Artes e Humanidades em Portugal e a melhor Faculdade de Letras portuguesa de acordo com principais rankings internacionais: Times Higher Education Rankings, QS World University Rankings, Scimago Institutions Rankings, CWTS Leiden Ranking, University Ranking by Academic Performance e US News Best Global Universities Rankings.

Outra Perspetiva

População do Alto Alentejo beneficia de cuidados de saúde de Proximidade

No Alto Alentejo, a saúde apresenta outras prioridades comparando com os grandes polos de urbanização. Com uma população reduzida, envelhecida...

Global Health Company: A cuidar da nossa Saúde e Bem-Estar

Com uma abordagem inovadora e centrada no paciente, a Global Health Company (GHC) tem- se destacado na prestação de serviços...

A primeira Unidade Local de Saúde faz 25 anos

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) foi criada em 9 de junho de 1999, era então Ministra da...

A inovação em saúde ao serviço do utente

Criado em 2021, o Centro Académico Clínico – Egas Moniz Health Alliance (EMHA) é composto pela Universidade de Aveiro e...