COANTAS celebra 20 anos de sucesso com abertura de Departamento de Rejuvenescimento Facial 

A Clínica Oftalmológica das Antas é uma referência na área da oftalmologia no Porto, com uma história de 20 anos de sucesso. Fundada pelo Professor Doutor Manuel Monteiro Pereira, a clínica é reconhecida pela sua excelência no tratamento de problemas oculares, tanto estéticos como funcionais. Em conversa com o oftalmologista, mergulhamos na história da clínica e ficamos a conhecer o seu novo Departamento de Rejuvenescimento Facial, coordenado por Filipa Pereira, sua filha. 

Na área da oftalmologia, poucos nomes ressoam com a mesma notoriedade e excelência que o de Manuel Monteiro Pereira, fundador e diretor da Clínica Oftalmológica das Antas (COANTAS), situada na bela cidade do Porto. Com uma carreira de 40 anos repleta de prémios nacionais e internacionais, Manuel Monteiro Pereira é uma referência na oftalmologia e cirurgia refrativa, tendo deixado uma marca indelével na medicina e na vida de milhares de pacientes.  

O início da carreira do Professor Doutor Manuel Monteiro Pereira foi marcado por uma paixão pela medicina e uma forte inclinação para a cirurgia. No entanto, compartilhou connosco que a arquitetura quase o desviou do caminho da medicina. “Sou médico há 40 anos, tendo concluído o meu curso em 1982. Quando iniciei na medicina, além desse campo, também tinha um forte interesse em arquitetura. Naquela época, era uma área empolgante, caracterizada pela realização e construção a partir do nada. A medicina, de certa forma, compartilhava dessa ideia de construção.” 

Mesmo assim, o seu caminho estava destinado e Manuel Monteiro Pereira seguiu pela oftalmologia, um campo desafiante e complexo da medicina. Foi no Hospital de São João que desenvolveu a sua especialização em cirurgia implantorrefrativa, uma área que lhe permitiu realizar cirurgias para eliminar a dependência de óculos, como tratamento para a miopia e hipermetropia.  

O então jovem médico não só orientou os trabalhos de doutoramento nesta área, como também desenvolveu técnicas cirúrgicas inovadoras e detém a patente de uma lente intraocular, sendo um dos poucos oftalmologistas da Europa a concretizar este feito. Após muita pesquisa, desenvolveu uma lente dobrável pioneira, que resolveu um problema significativo na oftalmologia, a implantação de lentes intraoculares após a cirurgia de catarata. 

A sua paixão pela cirurgia e o desejo de oferecer o melhor atendimento aos pacientes levaram-no à chefia da divisão de implantorrefrativa no Hospital São João, tornando-se um dos melhores serviços oftalmológicos do país. 

No entanto, Manuel Monteiro Pereira tinha uma visão maior e desejava criar o seu próprio espaço onde pudesse continuar a inovar e oferecer atendimento oftalmológico de excelência. A Clínica Oftalmológica das Antas nasceu desse sonho e celebrou 20 anos em junho deste ano. 

Clínica Oftalmológica das Antas 

A clínica, uma das poucas em Portugal com uma abordagem completa à oftalmologia, oferece consultas, exames de diagnósticos, e um bloco operatório equipado com tecnologia de ponta. 

“Inicialmente, convidei mais três médicos, totalizando quatro de nós, cada um com o seu próprio consultório. No entanto, a maioria das pessoas envolvidas consideravam o investimento muito alto”, começou por partilhar Manuel Monteiro Pereira. “Decidi, então, empreender o projeto por conta própria. Adquiri o espaço, desenvolvi o projeto com bloco operatório, o que nos diferenciava das restantes clínicas existentes no norte do país.” 

O bloco operatório possibilitava, já na altura, a realização do procedimento Lasik – cirurgia refrativa por laser que utiliza tecnologia de alta precisão e permite corrigir doenças como a miopia, o astigmatismo e a hipermetropia. Além disso, está também equipado com os aparelhos de maior qualidade, incluindo com microscópios TEP.  

Ao longo do tempo, a excelência da clínica foi atraindo cada vez mais pacientes de países de todo o mundo, como Canadá, Brasil, França e além. Segundo o fundador, a sua reputação é construída sobre a base sólida de “resultados consistentes e um compromisso inabalável com o bem-estar dos pacientes.” 

A Clínica Oftalmológica das Antas é verdadeiramente única, oferecendo serviços oftalmológicos abrangentes, desde consultas até cirurgias complexas. Uma das áreas em que a clínica se destaca é a cirurgia para corrigir problemas de visão, como cirurgias para eliminar a dependência de óculos. 

Quando questionado sobre o que o torna diferente, Manuel Monteiro Pereira humildemente atribui o seu sucesso à paixão pela medicina e pela cirurgia, afirmando que a sua abordagem ao paciente vai além das consultas médicas, envolvendo a realização de procedimentos cirúrgicos e uma busca constante pela excelência. “A paixão pela cirurgia é o que nos impulsiona a buscar constantemente a excelência. Sem essa paixão e dedicação, é quase impossível atingir o mais alto nível de competência”, defende. “Pessoas que não têm paixão pelo que fazem tendem a manter-se num nível mediano, mas nunca alcançam a excelência. Na área da oftalmologia, em particular, é fundamental ser excelente e destacar-se em relação às práticas comuns.” 

O oftalmologista enfatiza, também, a importância de estar atualizado, mas com cautela, evitando adotar tendências passageiras e priorizando tecnologias e abordagens que provaram ser eficazes. 

Prevenção de Problemas Oftalmológicos nas Crianças 

O compromisso da Clínica Oftalmológica das Antas com a excelência e inovação na medicina oftalmológica não se limita apenas ao tratamento de adultos. O médico e professor Manuel Monteiro Pereira, enfatiza a importância da prevenção de problemas oftalmológicos nas crianças e compartilhou a sua visão sobre o tema. 

Manuel Monteiro Pereira ressalta que, embora muitas pessoas pensem que problemas de visão são mais comuns em adultos, a verdade é que as crianças também podem enfrentar questões oftalmológicas, sendo que a prevenção é fundamental, mesmo que muitas pessoas não estejam cientes dos cuidados necessários ou simplesmente não os sigam de forma consistente. 

O conceituado oftalmologista aconselha enfaticamente que todas as crianças, sem exceção, devem ser submetidas a uma avaliação oftalmológica pelo menos uma vez, independentemente de apresentarem ou não anomalias visíveis. Essa é uma diretriz crucial, pois os problemas oculares podem não ser evidentes a olho nu, mas ainda podem afetar significativamente a qualidade de vida das crianças. 

Para crianças com anomalias visíveis ou suspeitas, o Prof. Doutor enfatiza a importância de uma avaliação oftalmológica desde muito cedo. No entanto, o médico oftalmologista deve ter habilidades específicas para lidar com crianças, uma vez que elas nem sempre cooperam durante o exame. Essa abordagem é essencial para garantir que qualquer problema seja identificado e tratado o mais cedo possível. 

A razão para essa avaliação precoce é a deteção de condições potencialmente graves, como estrabismo e retinoblastoma, um tipo de cancro ocular que tem um pico de incidência em torno de 18 meses de idade. 

Outro aspeto crítico que pode passar despercebido é o desenvolvimento saudável de um olho enquanto o outro pode apresentar problemas refrativos, como miopia, astigmatismo ou hipermetropia. A avaliação oftalmológica por volta dos 12 meses de idade é uma referência importante nesse processo, permitindo que os médicos detetem e tratem estes problemas precocemente. 

Mesmo se a criança não apresentar problemas visuais evidentes, o acompanhamento oftalmológico deve ser contínuo, uma vez que problemas visuais podem desenvolver-se ao longo do tempo, mesmo que não haja anomalias óbvias. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem garantir uma vida escolar satisfatória e normal, permitindo que as crianças alcancem o seu pleno potencial académico e pessoal. 

A inovação depois de 20 anos 

No decorrer da conversa, Manuel Monteiro Pereira revelou uma lacuna que identificou na clínica: a necessidade de melhorar a parte de logística. “O médico pode ser muito bom no consultório, mas depois tem que ter uma parte por trás, uma organização e estar atento àquilo que se passa na própria clínica”, revela. 

Foi para preencher essa lacuna que decidiu convidar a sua filha para integrar a equipa da clínica. “Ela já estava familiarizada com a situação da clínica, então a integração foi mais simples. Era uma ajuda que eu estava a precisar, tanto na parte da gestão, como na parte de reuniões, no contacto com os funcionários, pagamentos, tudo o que envolve a logística da clínica”, partilha com a voz de um pai orgulhoso por ter a filha a trabalhar ao seu lado. “A gestão adequada da clínica é crucial para garantir que os pacientes recebam o atendimento de alta qualidade que a clínica se compromete a oferecer.” 

Além disso, Manuel Monteiro Pereira realçou a importância de uma expansão que surgiu como um “milagre”. A clínica teve a oportunidade de comprar o espaço ao lado, o que permitiu o crescimento das suas instalações. Com a expansão, a clínica não só aumentou a sua capacidade com mais consultórios e salas de exames, mas também introduziu um novo departamento, o FaceLab. 

FaceLab – Departamento de Rejuvenescimento Facial 

Numa segunda parte da entrevista, Manuel Monteiro Pereira passa a palavra à equipa responsável por este novo Departamento de Rejuvenescimento Facial: Filipa Pereira, filha do próprio Manuel Monteiro Pereira, a Doutora Ana André Rodrigues, e Ana Patrícia Ferreira, fisioterapeuta. 

“A nossa clínica tem 20 anos de existência, inicialmente focada na oftalmologia. Sempre tivemos um bloco cirúrgico, mas tínhamos o desejo de expandir os nossos serviços, no entanto, limitação física do espaço existente impedia-nos de fazer isso até o ano passado”, começa por explicar Filipa Pereira, responsável pela gestão de operações de toda a Clínica Oftalmológica das Antas. 

A expansão veio com a aquisição de uma loja adjacente no ano passado, proporcionando à clínica o espaço necessário para oferecer cirurgias plásticas oftalmológicas e procedimentos de medicina estética. 

A ideia por trás do FaceLab não se limita apenas à medicina estética. A Doutora Ana André Rodrigues, especialista em medicina estética, explica que a decisão inicial ao criar este projeto foi a de diferenciar a clínica, indo além dos procedimentos comuns, como o ácido hialurónico e o botox. “Acreditamos firmemente que a prevenção do envelhecimento é a abordagem correta, e é isso que nos motiva. Portanto, procuramos atuar numa ampla variedade de tratamentos, com foco na prevenção e no tratamento das preocupações dos pacientes relacionadas ao envelhecimento.” 

Neste sentido, o FaceLab dispõe de tecnologias avançadas, incluindo o Ultraformer III, um dispositivo eficaz na prevenção e tratamento da flacidez, que cursa com o aumento da produção de colagénio, e o equipamento de laser de picossegundos Discovery PICO, usado para tratar hiperpigmentações, condições como o melasma e, também, remoção de tatuagens. 

Uma das características distintivas do FaceLab é a sua abordagem holística e personalizada, com a terapeuta Ana Patrícia Ferreira, fisioterapeuta especializada em dermatofuncional, a desempenhar um papel crucial no restauro do equilíbrio e da funcionalidade da pele, incorporando procedimentos de cuidados com a pele e produtos de qualidade médica e científica. 

“Muitos pacientes vêm até nós porque tiveram experiências anteriores de má orientação, procedimentos mal realizados e, em muitos casos, nem sabem quem eram os médicos responsáveis por seus tratamentos”, partilha Filipa Pereira. 

O FaceLab procura mudar a narrativa em torno da medicina estética, colocando ênfase na qualidade e segurança. A tradição de 20 anos de excelência médica na clínica é um fator de segurança fundamental para os pacientes. Este histórico de qualidade cria uma base sólida sobre a qual o FaceLab foi construído, refletindo os mesmos padrões rigorosos de qualidade e segurança que caracterizaram a clínica desde o início. Ao se associar a uma clínica respeitável, a equipa espera quebrar barreiras de preconceito e desinformação que muitas vezes impedem os pacientes de buscar tratamentos de medicina estética. 

Ana André Rodrigues destaca a importância de educar os pacientes e desfazer mitos: “No mundo atual, a informação chega mais rapidamente e de maneira mais fácil, mas também há cada vez mais desinformação. Às vezes, gastamos muito tempo na consulta simplesmente a educar os pacientes, porque muitos vêm com informações incorretas que obtiveram do Instagram, TikTok e tendências que nem sempre refletem a realidade.” 

Algo notório ao longo desta conversa é a importância que todos os membros da equipa colocam na colaboração e entreajuda. “Mantemos uma abordagem em equipa, onde os casos são discutidos por mim, pela terapeuta Ana Patrícia e pela Dra. Filipa. A ideia é trabalhar de forma colaborativa para fornecer o melhor tratamento possível aos pacientes”, reforça Ana André Rodrigues. 

Já Filipa Pereira defende que “não faz sentido criar um projeto e não envolver a equipa nesse processo. Qualquer equipamento que adquirimos para a clínica passa pela aprovação da equipa, pois são elas que o utilizarão, e as suas opiniões são fundamentais. O mesmo se aplica a todas as áreas, pois cada profissional sabe o que é melhor para seu trabalho.” 

Quanto ao futuro, o objetivo assenta em expandir o horário de atendimento e completar a agenda, uma vez que de momento o Departamento funciona dois dias por semana, às terças e sextas, durante a tarde.  

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

População do Alto Alentejo beneficia de cuidados de saúde de Proximidade

No Alto Alentejo, a saúde apresenta outras prioridades comparando com os grandes polos de urbanização. Com uma população reduzida, envelhecida...

Global Health Company: A cuidar da nossa Saúde e Bem-Estar

Com uma abordagem inovadora e centrada no paciente, a Global Health Company (GHC) tem- se destacado na prestação de serviços...

A primeira Unidade Local de Saúde faz 25 anos

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) foi criada em 9 de junho de 1999, era então Ministra da...

A inovação em saúde ao serviço do utente

Criado em 2021, o Centro Académico Clínico – Egas Moniz Health Alliance (EMHA) é composto pela Universidade de Aveiro e...