A Investigação no Departamento de Ciências Médicas da Universidade de Aveiro

Como diretora do Departamento de Ciências Médicas (DCM) da Universidade de Aveiro (UA), partilho a notável trajetória da investigação que temos desenvolvido em consonância com a missão “Inovar na Saúde para Melhorar a Qualidade de Vida”.

O DCM tem-se destacado pela sua colaboração com entidades externas, nomeadamente os Centros Hospitalares da região, mediante a implementação de projetos de investigação multidisciplinares que visam transformar positivamente a saúde e o bem-estar da comunidade.

Em sintonia com o plano estratégico da UA, o nosso grande desafio é promover a investigação no meio académico, e temos enfrentado esse desafio com entusiasmo e dedicação. Os docentes do DCM, todos também investigadores, e os nossos investigadores, que desempenham um papel crucial na docência, são indivíduos jovens e altamente motivados para a investigação científica. Um destaque especial vai para a significativa contribuição dos nossos estudantes de doutoramento, que desempenham um papel fundamental no desenvolvimento da investigação e organizam anualmente o iBiMED Symposium. O DCM e o iBiMED oferecem excelentes condições para a execução de teses de doutoramento.

Os investigadores do DCM desenvolvem as suas atividades de investigação principalmente no iBiMED (Instituto de Biomedicina), mas também no CICECO (Centro de Investigação em Materiais Cerâmicos e Compósitos) e no IEETA (Instituto de Engenharia Eletrónica e Telemática de Aveiro). O DCM apoia mais de 20 grupos de investigação distribuídos por seis áreas distintas: Neurociências, Biologia Celular e Cancro, Ciências Reprodutivas, Ciências Ómicas na Biomedicina, Infeção e Imunologia, e Epidemiologia e Investigação Clínica. As nossas abordagens experimentais variam desde a pesquisa básica até à aplicada, e de relevância clínica.

As linhas de investigação visam desvendar as bases moleculares de diversas patologias, identificar biomarcadores de valor diagnóstico e prognóstico, compreender a base molecular de diferentes patologias e explorar estratégias terapêuticas inovadoras. Destacamos, ainda, a importância da internacionalização no DCM, com colaborações estabelecidas em países como Alemanha, França, Reino Unido, Estados Unidos da América, entre outros. Um ponto de destaque é a contratação de duas Cátedras Internacionais financiadas pela Fundação Ilídio Pinho, que têm contribuído significativamente para a projeção internacional dos trabalhos desenvolvidos no DCM.

Em resumo, o DCM da UA é um centro dinâmico de investigação que não só enfrenta os desafios científicos mais complexos, mas também contribui de maneira substancial para a melhoria da saúde e da qualidade de vida. Estou entusiasmada por fazer parte desta comunidade académica dedicada à inovação e ao avanço do conhecimento científico.


O Instituto de Biomedicina – iBiMED da Universidade de Aveiro foi criado em 2014 para implementar o Programa de Ciências da Saúde capaz de melhorar a qualidade de vida, o bem- -estar e os cuidados de saúde das pessoas através da investigação biomédica e clínica e da formação avançada.

O programa de investigação do iBiMED tem vindo a consolidar-se ao longo dos últimos anos, através de uma sinergia entre investigadores de várias unidades de investigação e laboratórios associados da UA. O iBiMED integra investigadores de várias unidades orgânicas, em particular, do DCM e ESSUA (Escola Superior de Saúde da Universidade de Aveiro). A qualidade da nossa investigação está a aumentar, contribuindo de forma importante para o reconhecimento nacional e internacional da nossa universidade. Fazendo parte do novo Centro Clínico Académico, uma parceria dinâmica com os nossos associados, nomeadamente os hospitais de Aveiro (CHBV), de Sta. Maria da Feira (CHEDV), de Gaia/ Espinho (CHVNG/E) e vários Centros de Saúde das regiões de Aveiro e Aveiro-Norte, permitir-nos-á promover melhores condições de trabalho, infraestruturas de investigação biomédica e a implementação de novos programas de investigação clínica e translacional, criando novas oportunidades de saídas profissionais para jovens investigadores. Os investigadores do iBiMED estão a contribuir para melhorar a nossa compreensão das doenças neurológicas, imunológicas, genéticas, cardiovasculares, respiratórias e infeciosas, e a desenvolver metodologias para traduzir a investigação básica em intervenções clínicas durante as fases agudas e crónicas da doença, de modo a otimizar a qualidade de vida e o bem-estar das populações.


Área Neurociências

A área das Neurociências no DCM é multidisciplinar, recorrendo a abordagens moleculares até estudos envolvendo coortes de pacientes. Entre as patologias investigadas, destacam-se a doença de Alzheimer (DA), a doença de Parkinson e outras condições neurodegenerativas.

Os vários grupos de investigação científica têm como foco a compreensão da base molecular das doenças, a investigação da transmissão sináptica, a identificação de biomarcadores, os processos de regeneração neuronal e as potencialidades das realidades virtuais.

No contexto da DA, concentramos no papel da fosforilação no processamento de várias proteínas associadas à patologia, bem como na investigação da Diabetes tipo 2 como um fator de risco relevante. Destacamos, ainda, a identificação da BRI2 como uma nova molécula neurotrófica com potencial terapêutico no tratamento da DA. Uma linha adicional de pesquisa visa identificar e validar biomarcadores específicos para demência, em particular a DA, utilizando biofluídos periféricos, com o objetivo de desenvolver métodos de diagnóstico precoces e menos invasivos.

Os processos que regulam o desenvolvimento e a maturação neuronal, assim como os mecanismos moleculares e celulares subjacentes às doenças do neurodesenvolvimento, também são alvos fundamentais da nossa investigação.

Realçamos, igualmente, o trabalho inovador em sistemas de entrega de fármacos, visando promover a regeneração neuronal e da medula espinhal. Recorrendo à realidade virtual; em casos de lesões vertebro-medulares, observamos uma redução significativa da dor após a implementação de uma interface cérebro-máquina.

Os grupos de investigação na área das Neurociências assumem o compromisso de avançar constantemente no entendimento, diagnóstico e tratamento de distúrbios neurológicos.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

Tese: A importância da sinalização da insulina na doença de Alzheimer | Steven Alves | Orientador: Odete Cruz e Silva

Tese: O papel do BIN1 na Doença de Alzheimer e na Diabetes Tipo 2 | Maria Cachide | Orientadores: Odete Cruz e Silva e Ana Gabriela Henriques

Tese: O papel da fosforilação de proteínas induzida por metais em neuropatologias relacionadas com agregação de proteínas | André Nadais | Orientadores: Odete Cruz e Silva e Ana Gabriela Henriques

Tese: Exossomas derivados do sangue para a descoberta de biomarcadores na doença de Alzheimer | Tânia Martins | Orientador: Ana Gabriela Henriques e Jens Wiltfang

Tese: Novos alvos moleculares e vias de sinalização para a terapêutica da lesão medular | Patrícia Correia | Orientadores: Sandra Vieira, Frank Bosse e Fernando Ribeiro

Tese: Estudo do metabolismo do NAD no cérebro: da diferenciação ao dano neuronal | Diogo Neves | Orientadores: Raquel Silva, Sandra Vieira, Brian Goodfellow

Tese: Análise da proteostase extracelular e do exercício físico em pacientes com insuficiência cardíaca | Patrícia Correia | Orientadores: Fernando Ribeiro, Mário Santos e Sandra Vieira

Financiamentos

 FCT: DIAMOND-CONNECT

CCDRC: ADpro, BRI2@ADTHERAPY

Fundacion La Caixa: NANOSPIN, Diamond4Brain

American Alzheimer’s Association: EXO_DIAG_AD.

Comissão Europeia: Thertact-FB; Eurobench Next


Área Biologia Celular e Cancro

No DCM investigamos processos moleculares, celulares e fatores de risco implicados no desenvolvimento e progressão do cancro, assim como alterações na identidade celular durante o envelhecimento e regeneração. Para isso usamos uma abordagem transversal, com recurso a vários modelos celulares, organismos modelo e estudos com coortes de pacientes.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

Tese: Estudo de diagnósticos e oportunidades terapêuticas para o cancro da mama | Fátima Monteiro | Orientadores: Luísa Helguero, Cecilia Marie Williams e Maria do Rosário Domingues

Tese: Loss of proteostasis in cancer and its relation with acquired resistance to endocrine therapy | Inês Direito | Orientadores: Luisa Helguero, Margarida Fardilha e Gabriela Moura

Tese: Efeito de um programa de exercício físico supervisionado e adaptado na qualidade de vida de sobreviventes de cancro da mama | Ana Isabel Joaquim| Orientadores: Luisa Helguero, Alberto Alves e Horácio Costa

Financiamentos

FCT/CCDRC: DOI 10.54499/2022.01199.PTDC, DOI 10.54499/ EXPL/BIA-CEL/0358/20, ERA-CVD/0001/2018, UI-TRANSFER Liga Portuguesa Contra o Cancro: Dr Dário Cruz Oncology Research 2023


Área Infeção E Imunologia

Os grupos no DCM da área de Infeção e Imunologia desenvolvem trabalhos nas vertentes de investigação básica/fundamental, pré-clínica e clínica. São abordadas questões científicas relacionadas com a imunobiologia das células do sistema imune, interações microrganismo-hospedeiro e desenvolvimento de resistência a agentes terapêuticos. As respostas a estas questões permitirão um conhecimento mais aprofundado da fisiopatologia de inúmeras doenças de natureza infeciosa e imunológica/inflamatória, assim como o desenvolvimento de abordagens terapêuticas mais eficazes e seguras.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

Tese: Determinantes microbianos, inflamatórios e clínicos das exacerbações agudas da doença pulmonar obstrutiva crónica | Sara Dias| Orientadores: Ana Margarida Sousa, Alda Marques e Catarina Almeida

Tese: A interação entre vírus e peroxissomas: identificação de novos alvos para terapia antiviral | Mariana Marques | Orientadores: Daniela Ribeiro, Maria João Amorim e M. Islinger

Tese: Explorando o papel da fosfatidilinositol 3-cinase subunidade catalítica tipo 3 na ativação das células dendríticas plasmacitóides | Paulo Antas | Orientadores: Evelina Gatti, Catarina Almeida

Tese: Recodificação do genoma de Saccharomyces cerevisiae Ana Rita Silva| Orientadores: Manuel Santos e Ana Rita Bezerra  

Tese: MiaL (Lípidos de Microalgas) – Exploração do lipidoma de microalgas: uma estratégia de bioprospeção de lípidos bioativos | Tiago Conde | Orientadores: M. Rosário Domingues, Bruno Neves e Pedro Domingues

Tese: Desenvolvimento de um dispositivo médico para prevenção da dermatite de contato alérgica | Gonçalo Brites | Orientadores: Buno Neves e M. Teresa Cruz

Financiamentos

FCT: FunResist, Identificação de novos marcadores genéticos de resistência a antifúngicos no fungo patogénico Candida albicans, ExtraDC

H2020: EpiViral

World Scleroderma Foundation: MAPFib

Ref: 5200042947 “Cellular immunotherapy targeting cancer stem cells


Área Ciências Ómicas na Biomedicina

Gabriela Moura, Medicina do Genoma

As ciências ómicas representam uma área inovadora e de vanguarda na investigação biomédica. O Departamento de Ciências Médicas (DCM) é um protagonista neste domínio, reunindo uma equipa diversificada de investigadores especializados nas designadas ciências ómicas. Estes investigadores recorrem a tecnologias de ponta para estudar os sistemas complexos de dados biológicos – genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas, donde procuram extrair informação crucial sobre o estado de saúde e de doença, em seres humanos e em modelos biológicos.

O trabalho desenvolvido no DCM distingue-se pela sua amplitude e interdisciplinaridade, cobrindo diversas áreas científicas. No seu conjunto, estes grupos de investigação abrangem áreas científicas tão distintas como a identificação de fatores genéticos e epigenéticos que influenciam a suscetibilidade a características multifatoriais ou a identificação de perfis moleculares característicos de determinadas patologias. Assim esta investigação é essencial para desvendar como determinadas doenças se desenvolvem e como podem ser mais eficazmente prevenidas e tratadas.

Integrando dados de várias ómicas, os investigadores do DCM conseguem obter uma visão sistémica e holística da biologia humana. Esta abordagem permite descobertas que superam aquilo que seria possível através do estudo isolado de uma única ómica, abrindo caminho para progressos significativos na Medicina Personalizada e na Saúde Pública.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

Tese: Biomarcadores para o Diagnóstico do Cancro da Próstata através da Análise da Urina | Tânia Lima | Orientadores: Rui Vitorino, Margarida Fardilha e Rui Henrique

Tese: Identificação de novos alvos terapêuticos para modular a proteostase em humanos | Marisa Pereira | Orientadores: Ana Raquel Soares e Miguel Mano

Tese: Desvendando os papéis do stress proteotóxico na diversificação do genoma e na doença | Inês Sousa| Orientadores: Manuel Santos e Gabriela Moura

Tese: Nanostructures for biodetection: synthesis, surface functionalization, and application in the diagnosis of cardiovascular diseases | Maria António Orientadores: Ana Silva, Rui Vitorino

Financiamentos

FCT: CANCYL, VARCAL

CCDRC: COVID2123, Reforço da Capacitação para a Medicina Genómica

Outros: Alzheimer’s Association: AARG-NTF-23-1149641

H2020: EpiViral Grant nr 952373


Área Epidemiologia e Investigação Clínica

Esta área de investigação no DCM centra-se na interseção crítica entre Saúde Populacional, Farmacoepidemilogia, Farmacovigilância, Ciência Regulamentar, abrangendo a área dos medicamentos, dispositivos médicos e Tecnologias da Saúde. Destaca-se o nosso compromisso com uma abordagem abrangente na área da saúde, investigando-se padrões epidemiológicos para promover o bem-estar da população, com particular interesse na avaliação do impacto dos medicamentos, dispositivos médicos e outras tecnologias na saúde e na economia, na eficácia das intervenções de saúde e na gestão e análise de dados do mundo real.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

SmartWalk – Smart Cities for Active Senior Citizens (Universidad de Castilla-La Mancha) | David Bastos| Orientador: António Pereira, Nelson Pacheco Rocha, Antonio Fernández Caballero.

Participações Internacionais

Comité de Gestão European Network to Advance Best practices & technoLogy on medication adherencE (ENABLE) CA19132; International Pharmaceutical Federation (FIP) STATEMENT OF POLICY. The role of pharmacy in life-course vaccination, 2023; Protocolo European Patient Academy on Therapeutic Innovation (EUPATI) in Changing Patient Engagement Through Education

Financiamentos

FCT: Edu4OneHealth, Smart Health for ALL, ACTIVAS COST Action CA19132

S1/4.5/F0063 Interreg STOP IATRO

H2020: Smart and Healthy Ageing through People Engaging in Supportive Systems

PRR: HfPT – Health from Portugal


Área Ciências Reprodutivas

Marco Alves, Sertoli Cell and Gamete Biology Lab

A investigação em Ciências Reprodutivas é de grande importância, não apenas porque, ao estudar a linhagem imortal das células germinativas, aborda questões fundamentais relacionadas ao envelhecimento, proliferação celular, diferenciação e totipotência, mas também porque nos ajuda a compreender distúrbios observados na produção de gametas, embriogénese e fertilidade das gerações futuras.

Possuímos uma vasta experiência em duas áreas-chave:

1) estudar a regulação genética e epigenética da gametogénese feminina e sua relevância para a fertilidade adulta;

2) avaliar parâmetros reprodutivos masculinos como marcadores de distúrbios de fertilidade. A nossa investigação foca-se nos mecanismos moleculares da gametogénese feminina e masculina.

Especificamente, investigamos 1) os mecanismos epigenéticos necessários para a diferenciação de um ovócito primário viável, o estabelecimento da reserva ovariana e a transição bem-sucedida do ovócito para o zigoto após a fertilização, e 2) a natureza das proteínas específicas do esperma que desempenham papéis essenciais na maturação do esperma, na interação esperma-óvulo e no desenvolvimento embrionário.

O nosso objetivo é compreender os intricados eventos genéticos e epigenéticos envolvidos na reprodução saudável e no desenvolvimento inicial. Esta pesquisa fornece informações valiosas sobre vários aspetos, incluindo a formação de gametas, preocupações com a fertilidade, defeitos de nascença e diversidade genética. Adicionalmente, queremos aplicar os mecanismos moleculares da pesquisa básica em saúde reprodutiva na prática clínica para desenvolver novas ferramentas de diagnóstico para avaliar a qualidade de ovócitos e esperma, e selecionar gametas para Centros de Reprodução Assistida.

Destaques 2023: Trabalhos de Doutoramento

Tese: Análise do perfil de RNA de espermatozoides de homens subférteis: identificação de biomarcadores para avaliar a qualidade seminal | Joana Santiago| Orientadores: Margarida Fardilha, Manuel Santos e Joana Silva

Financiamentos

FCT: Uma abordagem de transcriptómica subcelular para estudar a gametogênese feminina

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...