“Missão científica” liderada pelos centros de investigação da FCHS UAlg

A Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve promove, com orgulho, a prática de investigação científica nos seus diversos centros: CIAC dedica-se às artes e comunicação; CUIP à psicologia; ICArEHB à pré-história e comportamento humano; o CEAD estuda a educação de adultos; e o CEAACP foca-se na arqueologia e património cultural.

Sérgio Vieira, Diretor

Para uma instituição de ensino superior, a investigação que gera constitui nutriente elementar para a sua ação nos domínios do ensino e da transferência de conhecimento. A investigação nas ciências humanas e sociais desempenha um papel crucial na interpretação dos fenômenos que moldam a experiência humana e permitem a compreensão do seu comportamento sob diferentes perspetivas. A atividade científica da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) da Universidade do Algarve (UAlg) realça-se pela diversidade de disciplinas que integra, nomeadamente a arqueologia, as artes, a educação de adultos, a história e património e a psicologia; e pela riqueza e extensão das iniciativas científicas que congrega.

A investigação nas ciências humanas e sociais é essencial para ampliar o nosso conhecimento sobre o mundo, promovendo a compreensão mútua, a inovação e o progresso nas diversas áreas que estudam a complexidade da experiência humana. Deste modo, as ações desenvolvidas pelos seus centros de investigação (e unidades de desenvolvimento) têm contribuído com relevância para a afirmação do papel da FCHS e para a concretização da missão científica da UALG.

Para a Direção da FCHS o suporte às estruturas de investigação são uma prioridade, nomeadamente através da prestação de apoio institucional, logístico e incentivo às atividades e desafios inerentes ao estudo científico, independentemente da sua condição: centro de investigação com atividade estabelecida e reconhecida pelas entidades formais de apoio à ciência; estrutura com atividade mais recente, ou ainda, novas propostas de afirmação, como refletido nos exemplos apresentados nesta edição de divulgação da atividade científica da FCHS.


CEAACP centrado no património arqueológico do mediterrâneo

João Pedro Bernardes

A investigação das formas de ocupação humana ao longo dos tempos e das paisagens patrimoniais, sobretudo no espaço mediterrânico, são as principais missões do polo de investigação do Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP) da Universidade do Algarve (UAlg), que foi criado em 2016 e é coordenado por João Pedro Bernardes, docente da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (FCHS) da UAlg.

Focado particularmente nas arqueologias históricas e da pré-história recente, nas arquiteturas vernaculares e no Património Cultural de uma forma geral, o CEAACP é uma unidade de investigação interinstitucional que associa a Universidade de Coimbra, a Universidade do Algarve e o Campo Arqueológico de Mértola, promovendo a investigação partilhada no domínio das Ciências Sociais e Humanas. A nível nacional, uma das marcas do CEAACP é a relação colaborativa, na transferência de conhecimento, com diversas entidades. Um bom exemplo disso é o projeto de Balsa, financiado pelo Algarve 2020, que, em colaboração com a Direção Regional de Cultura do Algarve (DRC-Algarve) e com o Centro de Ciência Viva de Tavira, tem como principal objetivo estudar a cidade romana de Balsa (Tavira), de modo a tentar reaver a memória perdida da cidade e das origens do Algarve e, de forma sustentável e integrada, lançar as raízes da preservação dessa cidade costeira romana articulada na paisagem da Ria Formosa, qualificando, assim, a região cultural e turisticamente.

Também internacionalmente, o CEAACP tem desenvolvido, ao longo dos últimos anos, projetos de investigação sobre os patrimónios comuns com os países do Magreb, nomeadamente com Marrocos e a Tunísia. Outro projeto internacional que merece especial destaque é o projeto de Kani Shaie, que estuda um dos mais importantes sítios arqueológicos no vale Bazyan, no Iraque. Embora desenvolvido pelo polo da Universidade de Coimbra, o polo da UAlg tem vindo a assumir um papel essencial, particularmente no estudo das arquiteturas vernáculas dessa região do Crescente Fértil, tendo este ano participado numa missão in loco, com um doutorando e dois docentes e investigadores da UAlg.

A existência deste polo de investigação na UAlg constitui um centro dinâmico agregador de investigação em áreas centradas no Património de vários projetos e interesses, criando sinergias e fomentando um ambiente de formação de investigação para os estudantes.

Relativamente a atividades de extensão, este polo de investigação tem desenvolvido diversas parcerias com autarquias e com a Direção Regional de Cultura do Algarve, no que diz respeito ao auxílio da montagem e curadoria de exposições e elaboração de conteúdos expositivos, como é o caso da prestação de serviço em curso com o Município de Olhão para a constituição de um centro museológico e interpretativo na Fuzeta. Na área da formação, o CEAACP da UAlg já dinamizou um curso de formação para militares da Guarda Nacional Republicana (GNR) sobre “Proteção dos bens culturais imóveis no Algarve”, organizado pela DRC-Algarve, e outros mais especializados para profissionais, sobre cerâmicas ou faunas arqueológicas.

A existência deste polo de investigação na UAlg constitui um centro dinâmico agregador de investigação em áreas centradas no Património de vários projetos e interesses, criando sinergias e fomentando um ambiente de formação de investigação para os estudantes.

Futuramente, o CEAACP pretende continuar a debruçar-se sobre os projetos de investigação em curso e iniciar um estudo integrado das paisagens e arquiteturas do Mediterrâneo Ocidental e da arqueologia das cidades romanas do sul peninsular, que serão temas essenciais a focar, a par da valorização do património e do estudo dos sistemas tradicionais de captação e gestão da água.

http://ceaacp.uc.pt/

ceaacp@ualg.pt


A Pré-História e o comportamento humano investigado pelo ICArEHB

O ICArEHB – Centro Interdisciplinar de Arqueologia e Evolução do Comportamento Humano – foi criado na UAlg em 2013, tendo sido classificado como Unidade de I&D de excelência pela Fundação para a Ciência e Tecnologia em 2015.

João Cascalheira

Dedicamo-nos ao estudo da Pré-história e da evolução do comportamento humano, através de uma abordagem interdisciplinar, combinando disciplinas como a Arqueologia, Antropologia Biológica, Primatologia, Ciências da Terra e do Mar, Geoarqueologia, Botânica e Biologia. Temos projetos ativos em mais de vinte países dos continentes Europeu, Africano e Asiático, e contamos com 8 laboratórios que combinam um conjunto de equipamentos e recursos de vanguarda, nomeadamente ao nível da microscopia, Geoarqueologia, modelação e processamento 3D, sistemas de informação geográfica e recolha de dados biomoleculares, como o ADN antigo. Atualmente, focamo-nos em seis temas principais de investigação:

  • Comportamento humano e migrações pré-históricas em África;
  • Adaptações a ambientes costeiros;
  • Dinâmica das comunidades paleolíticas na Eurásia;
  • Emergência e evolução das sociedades produtoras de alimentos;
  • História das Ciências Arqueológicas;
  • Primatas como Modelos para a Evolução de Hominíneos.

A missão do ICArEHB é desenvolver e partilhar um entendimento inclusivo das origens e evolução do comportamento humano, através de investigação rigorosa, inovadora e interdisciplinar. A nossa investigação centra-se no estudo das interações entre a cultura humana, a biologia e o ambiente em tempos pré-históricos. Entre outros tópicos, investigamos questões relacionadas com as adaptações dos primeiros humanos às alterações climáticas, como desenvolvemos sistemas sociais e culturais complexos, ou como essas adaptações tiveram impacto na nossa biologia e evolução. Dedicamo-nos a alargar os limites da nossa compreensão do passado para inspirar curiosidade e uma apreciação mais profunda pela complexidade da nossa espécie e das forças que nos moldaram.

“Dedicamo-nos a alargar os limites da nossa compreensão do passado para inspirar curiosidade e uma apreciação mais profunda pela complexidade da nossa espécie e das forças que nos moldaram.”

Dentre o conjunto de centros de investigação na área da Arqueologia e Evolução Humana, o ICArEHB tem um perfil único em Portugal. Não apenas porque reúne um dos mais jovens grupos de investigadores integrados, mas principalmente pelo foco específico na Pré- -História, na interdisciplinaridade, e na internacionalização. Estes pontos diferenciadores fazem do ICArEHB uma referência inevitável num país que tem uma riqueza patrimonial e arqueológica de interesse e relevância mundial. A importância do ICArEHB na investigação, preservação e divulgação do património arqueológico é demonstrada pelo trabalho dos nossos investigadores em sítios arqueológicos únicos no país e no mundo. Como exemplo, a nível nacional, destacam-se os concheiros mesolíticos de Muge (Salvaterra de Magos), ou o povoado calcolítico dos Perdigões (Reguengos de Monsaraz), ambos classificados recentemente como Monumentos Nacionais.

Durante os próximos anos o ICArEHB tenciona consolidar a sua posição enquanto referência mundial no domínio da arqueologia pré-histórica e evolução humana, procurando ser reconhecido por uma investigação inovadora, práticas sustentáveis e uma comunidade diversificada e inclusiva. O Centro está emprenhado em ser um Hub de atividade intelectual e criativa, fomentando colaborações interdisciplinares e interagindo com públicos diversificados dentro e fora de Portugal. O objetivo final é inspirar todos a envolverem-se com o seu património, contribuir para a preservação da diversidade cultural e fornecer conhecimentos significativos para os debates atuais e futuros sobre a natureza, o comportamento e a cultura humana.

http://www.icarehb.com/

icarehb@ualg.pt


CUIP com atuação na Psicologia Básica e Aplicada

O CUIP foi criado no ano 2000, como Centro de Estudos e Desenvolvimento na área da Psicologia, procurando integrar todos os docentes da UAlg com formação superior nesta área científica, de forma a permitir que docentes de várias Unidades Orgânicas pudessem colaborar na realização de investigações em conjunto.

Saúl de Jesus

Em 2023 foi registado na FCT como Unidade de I&D passando a integrar também investigadores da Universidade dos Açores, da Universidade da Madeira e da Universidade Autónoma de Lisboa. A investigação desenvolvida no âmbito do CUIP distingue-se entre a Psicologia Básica e a Psicologia Aplicada, embora se procure uma interação entre ambas.

“Há investigações que caracterizam e marcam a identidade deste Centro e que permitem distingui-lo das outras Unidades de I&D existentes no país, na área da Psicologia. A Psicologia aplicada ao Turismo é um exemplo disso (…)”

Em cada um destes dois grupos de investigação são desenvolvidos projetos de investigação, muitos deles numa perspetiva de investigação-ação, nomeadamente no âmbito da Psicologia Aplicada, que visa precisamente realizar investigação com impacto direto para o bem-estar das pessoas e das instituições em que essa investigação é realizada.

Há investigações que caracterizam e marcam a identidade deste Centro e que permitem distingui-lo das outras Unidades de I&D existentes no país, na área da Psicologia. A Psicologia aplicada ao Turismo é um exemplo disso, com contributos claros da investigação produzida para as respetivas regiões.

A internacionalização é um dos principais objetivos para o desenvolvimento do CUIP num futuro próximo, aproveitando a experiência de investigação dos consultores externos de diversos países (EUA, Canada, Malásia, Inglaterra, Croácia, Polónia, Espanha, Alemanha e Holanda), bem como a organização de congressos internacionais e a integração dos seus membros em redes de investigação e em sociedades científicas internacionais.

https://cuip.ualg.pt/

cuip@ualg.pt


CEAD: o único centro em Portugal dedicado a investigar a Educação de Adultos

António Fragoso

 O Centro de investigação em Educação de Adultos e intervenção comunitária (CEAD) iniciou a sua atividade no ano de 2020, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Embora se insira na área das Ciências de Educação, é o único centro português que foca a sua investigação no campo específico da Educação de Adultos. Acreditamos que devemos contribuir para as dinâmicas de mudança social e, consequentemente, centramos a nossa atenção nas questões de igualdade/ desigualdade social. A nossa ação está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), principalmente com o ODS 4 (educação de qualidade), 5 (igualdade de género) e 10 (reduzir as desigualdades).

O compromisso do CEAD com o combate transversal às desigualdades sociais tem levado os nossos investigadores a aprofundar os estudos de género nas suas relações com a educação e a cidadania; a empreender diversos estudos no ensino superior, olhando particularmente para os estudantes minoritários com problemas de sucesso académico ou drop-out, ou ainda a estudar os fenómenos à volta da educação e aprendizagem dos cidadãos mais velhos, entre outros exemplos. Para sermos eficazes, temos de equilibrar o nosso olhar analítico e a nossa intervenção a nível nacional, com um esforço de coordenação e financiamento internacional.

“O CEAD constituiu uma Rede Colaborativa com um conjunto de instituições da sociedade civil (40, neste momento), para fornecer serviços e colaborar em várias áreas.”

Os nossos investigadores estão bem integrados em redes de investigação internacionais, com destaque para a maior associação europeia de investigação no nosso campo: a European Society for Research on the Education of Adults (ESREA – https://esrea.org/), que CEAD: o único centro em Portugal dedicado a investigar a Educação de Adultos inclui treze redes diferentes de investigação em educação de adultos. Encontramos, aliás, investigadores do CEAD na criação e gestão destas redes internacionais de investigação, como é o caso das redes “Between Global and Local – Adult Learning and Communities”, “Gender and Adult Learning”, ou “Access, Learning Careers and Identities”.

Para que a investigação em Educação de Adultos seja bem-sucedida, é crucial que tenha uma aplicação prática, ajudando a construir soluções para os problemas que estudamos. Isto significa que as políticas de educação de adultos são cruciais na nossa ação. Mas também significa colaborar com as instituições para testar a implementação das nossas recomendações, sejam elas instituições públicas (como as Universidades), do setor privado (como os empregadores, quando trabalhamos as transições para o emprego dos graduados do Ensino Superior), ou o terceiro setor. Esta vertente de intervenção comunitária leva-nos, ainda, a criar e manter redes também a nível regional. O CEAD constituiu uma Rede Colaborativa com um conjunto de instituições da sociedade civil (40, neste momento), para fornecer serviços e colaborar em várias áreas. Finalmente, levamos a sério a formação e o apoio aos novos investigadores, mas também a comunicação fora de âmbito académico. Por isso os nossos investigadores debatem temas de interesse para todos os cidadãos em espaços públicos.

https://cead.ualg.pt/

cead@ualg.pt


O papel do CIAC nas Artes Visuais, Performativas e Comunicação

Miriam Tavares

O Centro de Investigação em Artes e Comunicação (CIAC) é uma unidade de investigação financiada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, resultante da fusão, em 2008, do Centro de Investigação em Ciências da Comunicação e Artes da Universidade do Algarve com o Centro de Investigação em Teatro e Cinema da Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL).

Sediado na Universidade do Algarve, atualmente, opera em quatro polos distintos: na Escola Superior de Teatro e Cinema do IPL, com foco em estudos fílmicos e teatrais; na Universidade Aberta, associado ao Doutoramento em Média-Arte Digital; no Instituto Politécnico de Santarém, dedicado à literacia digital e inclusão social; e mais recentemente na Universidade da Maia.

“O CIAC tem conduzido investigação inovadora nas áreas das artes visuais e performativas, da média-arte digital e dos estudos fílmicos, bem como na comunicação, explorando literacia dos média, comunicação digital, comunicação intercultural e turismo literário.”

O CIAC tem conduzido investigação inovadora nas áreas das artes visuais e performativas, da média-arte digital e dos estudos fílmicos, bem como na comunicação, explorando literacia dos média, comunicação digital, comunicação intercultural e turismo literário. Esta abordagem interdisciplinar combina a criação de plataformas de disseminação com a análise das formas de comunicação do conhecimento científico nestas áreas. Os objetivos do CIAC visam avanços nos campos da formação, investigação e promoção do conhecimento, tanto a nível nacional quanto internacional.

O Centro organiza encontros científicos regulares, nacionais e internacionais, fomentando o debate de ideias entre públicos de instituições locais, nacionais e internacionais. Por outro lado, assegura uma ampla linha editorial com o objetivo de difundir o conhecimento produzido pelos seus investigadores.

Além disso, interage com a comunidade ao promover a articulação com o tecido cultural e empresarial, facilitando a troca de conhecimento e a produção de novos saberes através de projetos e parcerias. Relativamente à formação avançada, o CIAC tem vindo a estabelecer colaborações estratégicas com outras instituições de ensino e investigação. Na investigação, dedica-se à análise dos suportes materiais, virtuais e tecnológicos dos fenómenos mediáticos, artísticos e comunicativos, incluindo a criação de plataformas digitais relacionadas com os objetos de estudo. Também produz investigação aplicada em laboratórios de criação e ensino artísticos, visando estabelecer ligações entre a investigação fundamental e os processos de criação artística.

https://ciac.pt/o-centro/

ciac@ualg.pt

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

População do Alto Alentejo beneficia de cuidados de saúde de Proximidade

No Alto Alentejo, a saúde apresenta outras prioridades comparando com os grandes polos de urbanização. Com uma população reduzida, envelhecida...

Global Health Company: A cuidar da nossa Saúde e Bem-Estar

Com uma abordagem inovadora e centrada no paciente, a Global Health Company (GHC) tem- se destacado na prestação de serviços...

A primeira Unidade Local de Saúde faz 25 anos

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) foi criada em 9 de junho de 1999, era então Ministra da...

A inovação em saúde ao serviço do utente

Criado em 2021, o Centro Académico Clínico – Egas Moniz Health Alliance (EMHA) é composto pela Universidade de Aveiro e...