Direção do HSFP Perspetiva o Ano de 2024

Entrevista com o Diretor Geral, Dr. Luis Cherpe (LC) e o Enfermeiro Diretor, Enf.º Dário Miranda (DM), do Hospital de São Francisco do Porto, analisando os resultados do ano que agora finda de 2023 e perspetivando o novo ano de 2024, nesta Unidade de Saúde centenária da cidade do Porto.

Como foi o ano de 2023 para o Hospital de São Francisco do Porto?

LC: A Venerável Ordem Terceira de São Francisco do Porto (VOTSFP) viveu em 2023 um ano de consolidação da sua atividade, tendo apresentado crescimentos assinaláveis em todas as suas valências, mostrando novamente que a estratégia que seguimos, regida pelo humanismo, proximidade, flexibilidade e excelência nos conduzem aos objetivos definidos inicialmente de expansão da produtividade, da nossa marca e imagem.

DM: O Hospital de São Francisco do Porto, fruto dos investimentos realizados para assegurar a excelência e a segurança clínica, bem como de uma política de proximidade e flexibilidade com os médicos e doentes e da sua diferenciação no tratamento a cada indivíduo, tem tido taxas de crescimento anuais bastante acima do Setor Privado da Saúde, sendo que se espera que, pela primeira vez na história da Ordem, o Hospital irá ultrapassar os 11.000.000€ de faturação. Contribui para este sucesso o facto de o Hospital dotar-se, cada vez mais, de equipamentos de vanguarda e diferenciados, o que tem ajudado a cativar equipas médicas de excelência, alavancando as nossas Unidades de Consultas, Cirurgias, Exames e Internamento. Estes factos fazem com que o nosso crescimento esteja associado a uma elevada taxa de satisfação dos médicos e doentes, que sentem que a nossa Instituição é diferente das demais.

Que marcos realçam como fundamentais para o crescimento obtido nestes últimos anos?

Luis Cherpe, Diretor Geral do Hospital de São
Francisco do Porto

LC: O crescimento do nosso Hospital iniciou-se em 2016 com a alteração da política da Mesa Administrativa que, fruto da exigência crescente deste mercado, entendeu como fundamental, após uma reflexão profunda, a profissionalização de toda a estrutura de gestão, nunca esquecendo os princípios que serviram de base à criação da nossa Instituição, enquanto IPSS de caráter religioso.

DM: A aposta em Recursos Humanos diferenciados, motivados e identificados com os valores da Instituição associado a um investimento contínuo na renovação das infraestruturas e na aquisição de instrumental cirúrgico e de equipamentos de electromedicina de vanguarda, cativaram novas equipas médicas que se identificaram com o nosso projeto clínico. A equipa de Enfermagem, tem sido uma clara aposta na nossa política institucional, com um reforço evidente do número de Enfermeiros do Hospital, bem como das suas condições de trabalho.

LC: No nosso Hospital permitimos que cada médico possa exercer a sua atividade de forma livre, sempre apoiado numa forte estrutura, administrativa e clínica muito próxima, permitindo uma segurança e empatia necessárias para que o objetivo principal de todos seja cumprido: tornar a experiência do doente o mais positiva possível, particularmente nos períodos de maior fragilidade.

DM: Especificamente no ano de 2023, realçamos como obras marcantes no Hospital a reformulação da antiga área de Gastroenterologia, transformada numa nova área de consultas onde funciona o novo Centro de Ortopedia Global, todos os dias da semana, com uma equipa de profissionais extremamente experientes em todas as áreas da sua especialidade. Também estará concluída, até final do ano, a renovação de duas das quatro alas da Unidade de Internamento, aumentando a capacidade instalada e melhorando as condições hoteleiras, proporcionando aos nossos doentes e profissionais de saúde um ambiente mais acolhedor, humano e próximo, indo de encontro ao nosso propósito.

LC: Acompanhando o nosso crescimento clínico e físico, não posso deixar de ressalvar as inúmeras melhorias processuais administrativas instituídas nestes últimos anos que, continuando a permitir ter uma grande flexibilidade e celeridade na satisfação dos pedidos dos nossos profissionais de saúde, permitiram aumentar o grau de eficiência associado a cada ato médico realizado.

Para além destas melhorias de infraestrutura e processuais, algum investimento que gostassem de referir?

LC: Como todos sabemos, a atividade hospitalar é de investimento intensivo e contínuo, pois queremos e devemos estar sempre na vanguarda das melhores práticas e acompanhando a inovação tecnológica de forma que as nossas equipas clínicas disponham de todos os meios para melhor desenvolverem a sua atividade. Durante o ano de 2023 foram feitos vários investimentos nesse sentido.

DM: Exemplo disso, foi a substituição de todos os nossos ventiladores de anestesia, bem como da monitorização associada no Bloco Operatório e na Unidade de Cuidados Pós Anestésicos. Também podemos referir o investimento efetuado no reforço das nossas caixas de Instrumental Cirúrgico de diversas especialidades.

LC: Como o conforto hoteleiro dos nossos doentes durante o período que passam no nosso Hospital é muito importante para nós, equipamos os quartos com camas mais atuais e confortáveis e aumentamos a segurança clínica com modernos equipamentos de monitorização, diretamente ligados a uma Central de Monitorização colocada na Sala de Enfermagem da Unidade de Internamento. Quais as especialidades mais relevantes no Hospital de São Francisco do Porto?

LC: O nosso Hospital tem diversas especialidades, com médicos de qualidade certificada internacionalmente com consultas diárias e que muito nos orgulham em pertencer ao nosso corpo clínico. Para iniciar, não podemos deixar de dar um especial enfoque à Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética, onde contamos com mais de 10 especialistas coordenados pelo nosso Diretor Clínico, Prof. Doutor Horácio Monteiro da Costa, com atividade diária cirúrgica e de consultas, com intervenções de elevado grau de complexidade, como sejam o tratamento do cancro oral, cirurgias de linfedema, entre outras.

Também a nível de Ortopedia temos um conjunto diário de médicos que nos permitem dar resposta a qualquer problema que surja em qualquer parte do corpo, com um elevado grau de excelência comprovado com anos de experiência. Cirurgia Geral é outra das especialidades em que, com médicos internos do nosso corpo clínico e através de parcerias com clínicas diferenciadas, temos uma atividade muito intensa e completa, sendo uma Unidade de Saúde Privada que oferece um serviço muito completo para quem necessitar.

Em Otorrinolaringologia, temos equipamentos, médicos e técnicos diariamente que nos permitem fazer todo o tipo de consultas, exames e intervenções, sendo uma especialidade com um crescimento assinalável nos últimos anos e com uma elevada taxa de satisfação dos doentes que nos visitam.

Em Oftalmologia temos um consultório totalmente equipado, bem como um Bloco Operatório completo e com experiência de centenas de cirurgias mensais, que nos permitem dar garantias de qualidade e celeridade no tratamento de qualquer problema.

DM: Temos ainda 2 Gabinetes de Medicina Dentária que, diariamente, estão disponíveis para receber qualquer doente, tratando as patologias estomatológicas, desde as mais simples até às mais complexas, bem como permitindo realizar consultas preventivas, envolvendo várias especialidades em verdadeiro trabalho de equipa. Por fim, relevo o nosso Serviço de Atendimento Permanente, em funcionamento de segunda a sexta das 08h às 20h, mas que em 2024 irá alargar o seu horário de atendimento aos doentes, permitindo continuar a dar resposta às situações súbitas e/ou urgentes de quem nos procura, com uma resposta célere e eficaz.

Quais as vossas perspetivas para o ano de 2024?

DM: O Hospital irá continuar a ser alvo de melhorias para responder à pressão existente para acompanhar o crescimento sentido nos últimos anos. Para tal, iremos revitalizar a 4.ª Sala do Bloco Operatório, Sala de Santo António, atualmente inativa, aumentando o seu espaço e adquirindo equipamentos de vanguarda semelhantes aos existentes atualmente nas restantes 3 Salas. A estratégia da nossa Instituição passa pelo contínuo reforço da qualidade das nossas instalações, melhorando ainda mais a segurança clínica e os fluxos operacionais.

LC: Outro investimento que será impactante na vida da nossa Instituição será a construção do novo Auditório Dr. António Pedro Pinto de Mesquita. Com inauguração prevista para o primeiro semestre de 2024, será palco de diversos eventos e atividades que, em conjunto com o nosso Salão Rainha Santa, irá proporcionar à nossa Instituição uma abertura à cidade do Porto e, consequentemente, uma projeção e visibilidade efetivas, contribuindo significativamente para a prossecução das nossas diversas atividades.

Dário Miranda, Enfermeiro Diretor do Hospital de São Francisco do Porto

DM: Com este Auditório, ofereceremos um elemento fulcral de atração e congregação de técnicos, pensadores e investigadores, permitindo um palco para discussões sobre o panorama atual da Saúde e onde podemos, como IPSS, auxiliar o nosso Sistema Nacional de Saúde.

LC: Reforço que todos os resultados positivos da nossa Instituição são canalizados, como IPSS que somos, para o investimento nas numerosas valências que temos e para o delinear de Ações Sociais que nos permitam intervenções no Grande Porto de forma individual ou em articulação com a Junta de Freguesia de São Nicolau ou de outras Instituições de caráter social da cidade, resolvendo situações de carência económica e social, infelizmente, cada vez mais numerosas. Na Ordem de São Francisco do Porto temos bem presentes os objetivos definidos, qual a estratégia delineada e qual o caminho que devemos percorrer para ter sucesso, nunca descurando os princípios basilares que norteiam diariamente todas as nossas ações: Humanismo, Proximidade e Responsabilidade Social.

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Ensino superior da região centro recebe dez milhões de fundos europeus para infraestruturas e equipamentos

No âmbito do Programa Regional do Centro (Centro2030) foi aberto um concurso para serem distribuídos dez milhões de euros de...

Explorando o oceano na região dos Açores

O mar profundo cobre mais de dois terços da superfície da Terra, mas esta vastidão misteriosa e oculta permanece em...

GeoBioTec@UBI explora vários caminhos de investigação na Beira Interior

A unidade de investigação (UI) GeoBiociências, Geotecnologias e Geoengenharias (GeoBioTec) foi criada em 2007 na Universidade de Aveiro, possuindo atualmente...

O Pioneirismo do GRAQ na Química Verde

Imerso na missão de promover a inovação e contribuir para a criação de conhecimento, o Grupo de Reação e Análises...

ESSNorteCVP: O Palco da Saúde, Educação e Inovação

A busca pela excelência na investigação em saúde e formação é a pedra angular da Escola Superior de Saúde do...