DCIM100GOPROG0075505.

IGOT: Estudar a Geografia e o Ordenamento do Território com um ensino e uma investigação de excelência

Amplamente prestigiado em Portugal e no estrangeiro, o Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa (IGOT-ULisboa) desenvolve uma oferta formativa de excelência para o desenvolvimento de investigação científica e o avanço do conhecimento, à medida que acentua a sua presença na sociedade. 

O IGOT é uma das 18 faculdades da Universidade de Lisboa, estando instalado na Cidade Universitária de Lisboa num edifício moderno e funcional, que garante todas as condições para o desenvolvimento de ensino e investigação de excelência. O IGOT é a única faculdade portuguesa especializada em Geografia e Planeamento do Território, estando cotada entre as melhores da Europa e do Mundo na área da Geografia, segundo os rankings mundiais por área de estudo (Shanghai Ranking of World Universities, SCImago Institutions Ranking e QS World University Rankings). 

O IGOT tem um corpo docente e de investigadores altamente qualificado, com valências científicas muito diversas, elevada internacionalização e forte orientação para a investigação, demonstrando competências para ministrar um ensino ao nível dos mais elevados padrões internacionais. O Instituto integra o Centro de Estudos Geográficos, o mais conceituado centro de investigação científica da Geografia portuguesa. 

No que concerne à internacionalização, o IGOT é uma escola preocupada, quer em termos de atração de alunos de nacionalidade estrangeira, quer em termos de estabelecimento de parcerias internacionais de ensino e investigação e de disseminação da produção científica. É de notar, ainda, que o IGOT é membro efetivo da Association of European Schools of Planning (AESOP) e da Association for Tourism and Leisure Education and Research (ATLAS) e surge nos relatórios do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior entre as instituições nacionais cujos cursos de licenciatura apresentam elevadas taxas de empregabilidade. 

O Instituto de Geografia e Ordenamento do Território rege-se por princípios éticos e de justiça, e considera que a igualdade de género e de oportunidades são fulcrais para a construção de uma Universidade e de uma Sociedade melhores e mais inclusas, rumo a uma cidadania mais consciente, responsável e participada. 

Uma missão, três funções 

O IGOT tem como missão promover um ensino superior de qualidade, ao nível da graduação, pós-graduação e formação ao longo da vida, desenvolver atividades de investigação, difundir conhecimento e prestar consultoria técnica e científica especializada à comunidade, nos domínios da geografia, do ordenamento e gestão do território, das políticas de desenvolvimento e da coesão territorial, do urbanismo, do ambiente, dos recursos e dos riscos, das dinâmicas e da organização sócio-espacial. 

A missão do IGOT articula, assim, as três funções da Universidade: ensino, investigação e ligação à sociedade, de modo a estimular a inovação, difundir conhecimento e contribuir para o desenvolvimento. A articulação entre ensino e investigação permite aos estudantes do Instituto alargar a sua formação e adquirir competências numa perspetiva interdisciplinar, um aspeto central e indispensável para garantir o acesso a um vasto leque de profissões, em empresas, na Administração Pública e em ONG. 

Competências e domínios científicos 

A Geografia fornece as competências teóricas e analíticas para identificar as mudanças nos sistemas ambientais e socioeconómicos e os seus efeitos espaciais. O planeamento e o ordenamento do território traduzem esse entendimento em ação para garantir a preservação do ambiente e a melhoria da qualidade de vida para a população do presente e para as gerações do futuro. 

Da articulação entre investigação, ensino, e necessidades de resposta aos problemas da contemporaneidade, da sociedade ao território, resulta o aprofundamento no seio do IGOT de muitas e diversificadas temáticas, que se espelham quer nas ofertas de cursos de licenciatura, mestrado e doutoramento, quer na constituição dos grupos de investigação. 

Equipamentos e infraestruturas 

Para além das salas de aula devidamente equipadas e com capacidade e recursos necessários para a lecionação das disciplinas específicas, o IGOT possui, ainda, as seguintes instalações físicas que são utilizadas regularmente pelos seus estudantes: Biblioteca, Mapoteca, Fototeca, salas específicas orientadas para o ensino de Sistemas de Informação Geográfica, Geomodlab (laboratório vocacionado para deteção remota e análise e modelação espacial) e EarthLab (laboratório dedicado à monitorização e análise de dados ambientais). 

Aos estudantes do IGOT são garantidas as melhores condições de acesso às tecnologias de informação, com algumas salas de aula totalmente equipadas com computadores de uso individual, tendo também acesso gratuito a diversos programas de análise e modelação para uso nos seus computadores pessoais. É, também, permitido o acesso e utilização permanentes do edifício a toda a sua comunidade. 

Ligação do IGOT à comunidade 

O IGOT mantém uma forte ligação à Comunidade, quer pelo envolvimento dos seus membros na organização e participação em conferências e workshops de disseminação de conhecimento, bem como junto dos media, quer também pela celebração de protocolos e contratualização com instituições do Governo e da administração pública e privados, tendo em vista a elaboração de estudos, planos e pareceres de consultorias e prestações de serviços. 

Destaque-se, ainda, o projeto “Nós Propomos! Cidadania e Inovação na Educação Geográfica”, criado pelo IGOT em 2011, tendo em vista sensibilizar os estudantes das escolas do ensino básico e secundário para os problemas locais, corresponsabilizando-os na procura de soluções em colaboração com as instituições locais, no quadro de uma ativa cidadania na sua relação com o território.  


Investigar a Geografia e o Ordenamento do Território com competência e interdisciplinaridade 

Fundado em 1943 por Orlando Ribeiro, o Centro de Estudos Geográficos (CEG) é uma instituição integrada no IGOT-ULisboa, que faz parte do laboratório associado Terra. É constituído por seis grupos temáticos de investigação. 

A missão do CEG consiste no desenvolvimento de investigação geográfica e na promoção e divulgação de conhecimento dos processos de mudança ambiental e socio-espacial, contribuindo para o desenho de políticas mais adequadas para o uso sustentável dos recursos ambientais, a inclusão e o desenvolvimento social, a coesão territorial e o ordenamento do território. A atividade científica do CEG desenvolve-se em estreita cooperação com o ensino da Geografia e Ordenamento do Território do IGOT-ULisboa, sendo executada livremente e pautando-se pelos mais elevados princípios da ética de investigação científica. 

Em 2021, o CEG integrou o Laboratório Associado TERRA – Laboratory for Sustainable Land Use and Ecosystem Services – que reúne 403 investigadores de cinco unidades I&D altamente complementares das Universidades de Lisboa e de Coimbra. 

Atualmente, o CEG tem uma equipa de 146 investigadores integrados, 66 dos quais doutorados. Os restantes membros são maioritariamente estudantes de doutoramento de cursos do IGOT-ULisboa. Tratando-se de uma unidade de investigação em Geografia, a grande maioria dos investigadores são desta área disciplinar, mas fazem parte do CEG investigadores com formação em Engenharia, Geofísica, Geologia, Biologia, Antropologia, História, Estudos Urbanos e Arquitetura e Urbanismo, contribuindo para um ambiente de investigação interdisciplinar. No período 2020-23 a atividade do CEG centra-se em torno de 4 agendas temáticas estratégicas: i) Mudanças Ambientais, Recursos e Riscos Naturais; ii) Desafios Urbanos, Mudanças Socioeconómicas e Justiça Espacial; iii) Territórios, Governança, Políticas e Planeamento; iv) Ambiente, Cultura, Sociedade e Lugar. 

Grupos de investigação 

O CEG organiza-se em seis Grupos de Investigação (GI), cuja atividade incide sobre: Sistemas de mudanças climáticas e ambientais e ciência polar (Zephyrus), Avaliação e gestão de riscos (RISKam), Migração, espaço e sociedade (MIGRARE), Turismo, cultura e espaço (TERRITUR), Modelação, ordenamento e planeamento territorial (MOPT) e, Dinâmicas e políticas urbanas e regionais (ZOE). Os GI estão envolvidos em projetos de investigação nacionais e internacionais, muitos dos quais com funções de coordenação, principalmente com parceiros europeus, brasileiros e de outros países latino-americanos. 

O imperativo da internacionalização 

A atividade do CEG é, por natureza, internacional. Desde 2013, a publicação em revistas indexadas na Web of Science (W0S) e na Scopus aumentou consideravelmente e dirigiu-se principalmente para as revistas com maior fator de impacto (3/4 dos artigos em revistas Q1 e Q2), nas áreas científicas da Geografia Física e Geografia Humana, Ciências do Ambiente, Planeamento Urbano e Regional,  Modelação Espacial, Geociências, Demografia e Migrações e Turismo. A revista Finisterra, editada pelo CEG, passou a integrar o Emerging Source Citation Index da WoS e está indexada na Scopus (Q3). É também a melhor revista portuguesa de Geografia no Ranking da Rede Ibero-americana de Inovação e Conhecimento Científico (REDIB)”. 

Nos últimos 5 anos, o CEG participou em 44 projetos de investigação, 20 dos quais internacionais (H2020, EEA Grants, ESPON, INTERREG, ESA) e, em várias dezenas de contratos de investigação aplicada e prestação de serviços. O CEG participa ativamente em redes científicas de alto nível na área das migrações (IMISCOE e METROPOLIS), ciência polar (IPA, SCAR Geosciences, IASC e CWG), riscos (CERG, CERU), ordenamento do território (RIDOT— espaço ibero-americano) e políticas europeias (RSA CP-Net). Sublinhe-se, ainda, o envolvimento direto com a comunidade científica internacional por via da organização regular de grandes eventos científicos internacionais e pelo acolhimento de largas dezenas de professores/investigadores e estudantes de pós-graduação visitantes. 

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...