Ensino e Investigação em Engenharia Naval e Oceânica

O ensino em Engenharia Naval e Oceânica reflete a qualidade da investigação científica e do desenvolvimento tecnológico do Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa (https://tecnico.ulisboa.pt/pt/) reconhecida internacionalmente como uma escola líder nesta área.

Prof. Yordan Garbatov, Presidente do CENTEC e Coordenador do Doutoramento em Engenharia Naval e Oceânica
Prof. Ângelo Palos Teixeira, Coordenador da Licenciatura e Mestrado em Engenharia Naval e Oceânica

Âmbito

A Engenharia Naval é uma atividade profissional reconhecida e regulamentada pela Ordem dos Engenheiros que consiste fundamentalmente na conceção, construção e gestão da operação dos sistemas que se destinam à exploração do mar, nas suas vertentes de via de transporte marítimo, de fonte de recursos vivos e minerais e ainda como local de atividades de desporto e recreio.

 Ensino em Engenharia Naval e Oceânica

Apesar da sua longa tradição marítima, Portugal só em 1981 viu surgir a primeira Licenciatura em Engenharia Naval no Instituto Superior Técnico, ainda hoje o único curso superior existente no país nesta área.

O principal objetivo do ensino em Engenharia Naval e Oceânica é fornecer aos alunos formação especializada para projetar, construir, manter, reparar e gerir todo o tipo de veículos que utilizam o mar e as águas interiores para fins de transporte, operação ou para atividades de lazer e estruturas fixas e flutuantes para exploração de recursos submarinos e oceânicos (energia eólica, energia das ondas e aquicultura). Outras áreas principais incluem o planeamento e a gestão de operações marítimas e portuárias, que resultam da integração do transporte marítimo no transporte multimodal e nas cadeias logísticas, e também o projeto e a manutenção de sistemas submarinos.

 A formação em Engenharia Naval e Oceânica está estruturada em três ciclos de estudos:

  • Licenciatura em Engenharia Naval e Oceânica, (LENO): 1º ciclo de estudos, duração de 3 anos, https://tecnico.ulisboa.pt/pt/ensino/cursos/licenciaturas/engenharia-naval-e-oceanica/;
  • Mestrado em Engenharia Naval e Oceânica, (MENO): 2º ciclo de estudos, duração de 2 anos, https://tecnico.ulisboa.pt/pt/ensino/cursos/mestrados/ engenharia-naval-oceanica/;
  • Doutoramento em Engenharia Naval e Oceânica, (DENO): 3º ciclo de estudos, duração de 4 anos, https://fenix.tecnico.ulisboa.pt/cursos/den.

Licenciatura em Engenharia Naval e Oceânica (LENO)

A LENO tem por objetivo dotar os alunos de uma sólida formação em Ciências Fundamentais, indispensáveis à aprendizagem da Engenharia, e formação específica em Engenharia Mecânica e Engenharia Naval e Oceânica, que lhes permita prosseguir estudos mais avançados de segundo ciclo.

 A LENO constitui uma formação de banda larga, explorando a afinidade na formação de base entre diferentes especialidades de engenharia, e integra-se numa grande área de formação em engenharia que inclui a Engenharia Mecânica, a Engenharia Aeroespacial e a Engenharia e Gestão Industrial.

Mestrado em Engenharia Naval e Oceânica (MENO)

 O principal objetivo do MENO é fornecer aos alunos formação especializada para responder aos atuais desafios da Engenharia Naval. Entre eles destacam-se a eficiência energética no projeto e operação de navios; a exploração sustentável dos recursos oceânicos que inclui a exploração da energia das ondas e do vento em instalações offshore; a exploração dos recursos do subsolo marinho; e o aproveitamento dos seus recursos vivos; a automação dos navios, a eficiência do transporte marítimo e das operações portuárias, e o projeto de embarcações de recreio de alto desempenho.

O plano curricular do MENO é constituído por um tronco comum e três perfis ou ramos de especialização alternativos em Projeto e Construção Naval, Transporte Marítimo e Portos, e Sistemas Oceânicos.

Saídas Profissionais

O crescimento da atividade de transporte marítimo em todo o mundo e a exploração de recursos oceânicos deram origem a uma escassez de Engenheiros Navais em toda a Europa. Os recém-formados em Engenharia Naval e Oceânica encontraram emprego em: Gabinetes de projeto e engenharia; Estaleiros navais; Armadores e operadores marítimos; Autoridades e terminais portuários; Empresas de consultoria e sociedades de classificação; Departamentos da Administração Pública; Instituições de ensino superior e investigação; Diferentes indústrias e serviços relacionados.

Doutoramento em Engenharia Naval e Oceânica (DENO)

O objetivo do DENO é fomentar a investigação permitindo o desenvolvimento de temas de interesse científico. Programa Doutoral em Engenharia Naval está integrado no 3º ciclo de estudos e complementa a formação de base dos 1º e 2º ciclos em Engenharia Naval e Oceânica.

Porquê Engenharia Naval e Oceânica no Técnico?

  • Único curso superior universitário em Engenharia Naval e Oceânica em Portugal
  • Ocupa o 1º lugar na Europa e o 3º a nível mundial, de acordo com o Ranking de Xangai de Universidades em Engenharia Naval Oceânica, sendo a área com melhor classificação em Portugal.
  • É apoiada pelo CENTEC, um centro de investigação de renome internacional.
  • Possui um forte ambiente internacional, com 40% de estudantes estrangeiros de mais de 14 países.

Centro de Engenharia e Tecnologia Naval e Oceânica

O Centro de Engenharia e Tecnologia Naval e Oceânica (CENTEC) (http://www.centec.tecnico.ulisboa.pt), é uma unidade de investigação do IST criada em 1994, reconhecida e financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. O CENTEC concentra as suas atividades na investigação científica, no desenvolvimento e demonstração e na sua aplicação à exploração sustentável e ao aproveitamento de recursos marinhos, nos vários domínios de interesse como sejam o transporte marítimo e portos, a utilização do espaço oceânico, incluindo as zonas costeiras, a exploração e o aproveitamento de recursos marinhos, a náutica de recreio, bem como a proteção do ambiente marinho e dos seus recursos. Estas atividades são possibilitadas pelos navios e outras estruturas flutuantes e submersíveis, cujo projeto, construção e manutenção são objetivos centrais das atividades do CENTEC.

Desde a sua criação o CENTEC tem evoluído consistentemente tanto em número de investigadores como na qualidade da investigação produzida, estando atualmente entre os melhores centros de investigação do mundo na área de Engenharia e Tecnologia Naval e Oceânica. Nos últimos 10 anos o CENTEC conta uma média de 45 investigadores doutorados, entre os seus 100 membros de mais de 12 nacionalidades.

 O CENTEC está organizado nos seguintes grupos de investigação:

  • Ambiente Marinho
  • Dinâmica e Hidrodinâmica Naval
  • Estruturas Navais
  • Segurança e Logística do Transporte Marítimo

O grupo de “Ambiente Marinho” estuda os aspetos do ambiente marinho que são importantes para atividades de engenharia no mar. A ênfase principal tem sido dada à modelação matemática, física e probabilística de agitação marítima, correntes e ventos.

O grupo de “Dinâmica e Hidrodinâmica Naval” incide no estudo do comportamento de navios e plataformas marítimas. As atividades incluem o desenvolvimento e melhoramento de métodos de previsão do comportamento destas estruturas no mar e a investigação experimental em ensaios de pequena ou grande escala.

O grupo de “Estruturas Navais” desenvolve métodos para analisar e projetar estruturas navais. Este grupo dedica-se a vários temas de investigação que incluem a análise teórica e experimental da resistência de estruturas ao colapso, fadiga e impacto; a modelação geométrica de estruturas navais; e o projeto e controlo de estruturas e sistemas mecânicos.

O grupo de “Segurança e Logística do Transporte Marítimo” abrange uma vasta gama de tópicos de investigação multidisciplinares, que cobrem os aspetos da segurança marítima e fatores humanos; segurança do tráfego marítimo; análise, avaliação e gestão da segurança; fiabilidade e manutenção de estruturas e equipamentos; e a logística do transporte marítimo e operações portuárias.

“O crescimento do CENTEC resultou em grande medida de colaborações internacionais que mantém com universidades e centros de investigação de renome e do seu envolvimento em mais de 116 projetos de investigação financiados pela União Europeia”

O Plano Estratégico do CENTEC tem como objetivo reforçar as competências e expandir a investigação científica em: Energias renováveis Offshore; Impacto das alterações climáticas nas atividades marítimas; Eficiência energética no projeto e operação de navios; Logística do transporte marítimo e operações portuárias; e Exploração de recursos submarinos.

O crescimento do CENTEC resultou em grande medida das colaborações internacionais que mantem com universidades e centros de investigação de renome e do seu envolvimento em mais de 116 projetos de investigação financiados pela União Europeia, 64 projetos nacionais e 12 projetos de investigação com financiamento Internacional, tanto como parceiro como coordenador. Desta intensa atividade de investigação resultou num elevado nível de produção científica, medido pelos 1555 artigos publicados em revistas internacionais, pelos 1161 capítulos em livros e pela conclusão de 63 doutoramentos.

Nas duas últimas avaliações consecutivas realizadas pela FCT em 2014 e 2018, o CENTEC foi classificado como “Excelente”. O Ranking de Shanghai, ranking internacional baseado na quantidade e qualidade da produção científica, que ordena as universidades nas várias áreas científicas e por especialidades, classificou em 2023 a Engenharia Naval e Oceânica do Instituto Superior Técnico em 1º lugar a nível europeu e 4º lugar a nível mundial,(https://www.shanghairanking.com/institution/university-of-lisbon) . Este lugar de destaque da Universidade de Lisboa (o ranking é feito por universidades) na área científica de Engenharia Naval e Oceânica, para o qual o CENTEC muito contribui, é o melhor resultado de todas as áreas científicas de universidades portuguesas no Ranking de Shanghai. O CENTEC conta também com 4 dos seus investigadores na lista dos 2% mais citados a nível mundial, publicada pela Universidade de Stanford (Estados Unidos da América) e pelo grupo editorial Elsevier.

O mérito do trabalho de investigação produzido no CENTEC, reflete-se de forma direta na qualidade do corpo docente, (http://www.centec.tecnico.ulisboa.pt/ ensino/staff.aspx) e indiretamente na qualidade e atualidade do ensino ministrado. Esta reputação internacional é reconhecida pelo número elevado de alunos internacionais que procuram o CENTEC e os programas de MENO e DENO e pela sua posição de relevo nos rankings internacionais. Conclui-se assim que o ensino e a investigação em Engenharia Naval e Oceânica alcançaram um excelente nível de reconhecimento internacional e encontram-se atualmente numa posição de liderança a nível internacional.

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...