Maria Henriqueta Figueiredo, Presidente da SPESF

O contributo da SPESF no desenvolvimento da área de especialidade de Enfermagem de Saúde Familiar

Em conversa com a Perspetiva Atual, Maria Henriqueta Figueiredo – Presidente da Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Familiar (SPESF) – revela como serão consolidadas as atividades planeadas no âmbito das Comissões criadas em 2020.

Perspetiva Atual: Não podemos declarar que a SPESF tem um percurso longo, tendo concluído apenas o seu 6.º aniversário este ano. Com que missão foi criada a Sociedade e qual o balanço que faz destes seis anos? Os objetivos iniciais foram ou estão a ser alcançados?

Maria H. Figueiredo: A Sociedade Portuguesa de Enfermagem de Saúde Familiar (SPESF) é uma associação científica sem fins lucrativos, constituída em 10 de setembro de 2021. Emergiu da história coletiva dos seus membros, edificada na procura colaborativa de respostas às necessidades das famílias, manifestadas pelas narrativas, pelos comportamentos que traduzem crenças e valores, sentimentos e emoções, num contexto de reciprocidade entre as forças da família, enquanto sistema, e as interações mantidas entre os seus membros e entre estes e o ambiente, conferindo a cada família, em singular, a unicidade e a todas, em plural, a diversidade. A SPESF, enfatizando o melhor do passado, está confiante face ao futuro, assumindo a família como unidade de cuidados, num paradigma globalizante, em que a cooperação próxima com os associados e com todos os parceiros sociais, permitirá  encontrar, em conjunto, soluções inovadoras que aliem o saber especializado, enquanto recurso, ao desenvolvimento de práticas socialmente construídas, promotoras de competências profissionais em enfermagem de saúde familiar, com vista à otimização das respostas às necessidades das famílias e, consequentemente, maximizar o potencial de saúde dos cidadãos e da sociedade, como um todo.

Os objetivos iniciais tem sido especificados anualmente e consolidados de acordo com as finalidades estatutárias da SPESF, designadamente:  contribuir para o estudo dos pressupostos epistemológicos e teóricos da Enfermagem de Saúde Familiar; contribuir para o estudo e investigação promotores da tomada de decisão clínica em Enfermagem de Saúde Familiar; realizar cursos de formação, sessões científicas, colóquios e seminários com fins informativos e formativos destinados a pessoas e entidades, interessadas nos aspetos teóricos e práticos da Enfermagem de Saúde Familiar; divulgar e publicar a sua atividade científica em publicações da especialidade e outras; contribuir com a Ordem dos Enfermeiros, no desenvolvimento da área de especialidade de Enfermagem de Saúde Familiar; colaborar com Ordens Profissionais, sociedades, escolas, institutos nacionais e internacionais, ou outras entidades, no desenvolvimento profissional e na investigação no âmbito da Enfermagem de Saúde Familiar.

PA: No passado mês de outubro, realizou-se o IV congresso internacional organizado pela SPESF. Que temas foram debatidos neste congresso e qual a importância da realização destes eventos?

MHF: O IV congresso internacional de Enfermagem de Saúde Familiar e III Congresso Ibérico de Saúde Familiar, que decorreu entre 20 e 22 de outubro de 2022, pretendeu contribuir para a divulgação de evidências na Enfermagem de Saúde Familiar, em particular e, da Saúde Familiar em geral, a nível nacional, ibero-americana e mundial. Foram incluídos painéis de conferências, centrando-se  nas seguintes temáticas: Intervenção familiar em situação de luto; Esperança na família; Recursos para síntese da ciência; Como redigir um artigo científico; Exposição prolongada aos ecrãs; Igualdade de género; Promoção do sono; Desafios das famílias no séc. XXI e ainda um Painel sobre o papel da SPESF no desenvolvimento da enfermagem de saúde familiar. Além das conferencias, os momentos de apresentação e discussão de comunicações livres constituíram-se uma oportunidade de estreitar redes de conhecimento, cooperação e dinâmicas, que visaram o desenvolvimento da Saúde Familiar, assim como o aperfeiçoamento e consolidação da prática de cuidados centrados na família, como unidade.

A avaliação pós-evento realizada pelos participantes, em termos globais foi muito positiva, destacando-se que a avaliação geral se situou maioritariamente no Excelente (73,8%), seguido do Muito Bom (26.2%). No que concerne às temáticas discutidas no evento 81% consideraram-nas excelentes e 16,17% Muito Boas. Aspetos positivos enfatizados foram a qualidade cientifica dos preletores e a atualidade das temáticas.

PA: Que planos, atividades ou objetivos têm preparados para o próximo ano?

MHF: Para 2023 a SPESF pretende consolidar as atividades planeadas no âmbito das Comissões criadas em 2020: Comissão da Prática; Comissão de Educação e Formação; Comissão de Inovação e Desenvolvimento e Comissão de Investigação. Estas comissões, com planos de ação individualizados alinham-se com as competências da SPESF, nomeadamente: estimular a investigação em Enfermagem de Saúde Familiar; proceder à divulgação de estudos, artigos científicos ou de apoio, pelos meios adequados, nomeadamente através de publicação própria; efetuar apoio técnico e científico a entidades individuais ou coletivas interessadas na otimização das respostas às pessoas e famílias, através dos meios considerados necessários; fomentar relações e intercâmbio, ou ser membro, com sociedades ou outras entidades dedicadas a contextos similares da SPESF; defender os interesses dos cidadãos em relação aos serviços de Saúde Familiar.

A Comissão da Prática tem como finalidade contribuir para a melhoria do conhecimento profissional em Enfermagem de Saúde Familiar e consequentemente para a melhoria da qualidade dos cuidados especializados em Enfermagem de Saúde Familiar, é coordenada pela presidente da SPESF, Maria Henriqueta Figueiredo, Marlene Lebreiro, Silvia Dias, Paula Santiago e Angelina Vinhinhas.

Abarca dois grupos de trabalho: Documentação em Enfermagem de Saúde Familiar (coordenado por Marlene Lebreiro e Silvia Dias) e Ferramentas Clínicas de Intervenção Familiar (coordenado por Diliana Ribeiro e Michelle Pinto). As atividades em desenvolvimento e a desenvolver, referentes ao primeiro grupo, pretendem contribuir para a uniformização da documentação, em Cuidados de Saúde Primários, dos cuidados produzidos pelos enfermeiros no âmbito das competências especializadas em Enfermagem de Saúde Familiar. No que diz respeito ao segundo grupo, este pretende identificar as ferramentas clinicas mobilizadas pelos enfermeiros na otimização dos cuidados às famílias, visando a construção de um manual que seja útil para a tomada de decisão clinica.

A Comissão de Investigação, coordenada por Ermelinda Marques, Maria João Fernandes, Maria Jacinta Dantas e a presidente da SPESF e que pretende contribuir para a produção e divulgação do conhecimento científico na área da enfermagem de saúde familiar. Para 2023, as atividades  centram-se nos seguintes objetivos:  Impulsionar a realização de estudos; Promover a divulgação dos resultados; Estimular a utilização dos resultados da investigação na prática clínica; Efetuar apoio científico a entidades individuais ou coletivas interessadas na otimização na resposta às pessoas e famílias

A Comissão de Educação e Formação, para além da presidente da SPESF, é coordenada  por  Manuela Ferreira, Tiago Marques, Ana Murteiro e Carlos Vitor,  pretendendo dar resposta às seguintes finalidades:  Realizar cursos de formação, sessões científicas, colóquios e seminários com fins informativos e formativos destinados a pessoas e entidades, interessadas nos aspetos teóricos e práticos da Enfermagem de Saúde Familiar; Contribuir com a Ordem dos Enfermeiros, no desenvolvimento da área de especialidade de Enfermagem de Saúde Familiar; Colaborar com Ordens Profissionais, sociedades, escolas, institutos nacionais e internacionais, ou outras entidades, no desenvolvimento profissional da Enfermagem de Saúde Familiar.

Em 2023 irá decorrer o 4º Ciclo de Formações, cujos temas foram selecionados após o diagnóstico junto dos membros da SPESF. Planeado para o inicio do ano, um webinar sobre Questões Éticas em Enfermagem de Saúde Familiar e um workshop sobre a temática da violência doméstica, com especial enfase aos aspetos legislativos e recursos comunitários.

Ainda no âmbito desta Comissão o desenvolvimento do V Congresso Internacional de Enfermagem de Saúde Familiar e IV Congresso Ibérico de Saúde Familiar, que irá decorrer, em formato misto, na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, de 26 a 28 de outubro.

A Comissão de Inovação e Desenvolvimento,  coordenada por Virginia Guedes, Mónica Barbosa, Tiago Marques e Maria Henriqueta Figueiredo, assume os seguintes objetivos: Estabelecer redes de contacto com outras associações de ESF e  Promover e divulgar a saúde familiar como área do conhecimento.

No âmbito das parecerias distingue-se as atividades já desenvolvidas com a Associação de Investigação de Cuidados Suporte em Oncologia (AICSO) e a Participação no Grupo de trabalho de Jovens Peritos de Cuidados de Saúde Primários (You&EFPC) do Fórum Europeu de Cuidados de Saúde Primários.

Destacamos a seguir o grupo criado recentemente no âmbito desta Comissão:

Grupo ENF.AMÍLIA, coordenado por Leonor Pinto e alicerçado nos seguintes propósitos: promover a literacia familiar; divulgar as competências do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Saúde Familiar (EEESF) e o âmbito de atividade do Enfermeiro de Família; Reconhecer as necessidades das famílias portuguesas que acedem ao Sistema Nacional de Saúde. As publicações são feitas na rede social Instagram (@enf.amilia) com a designação EnF.amília – SPESF. Os conteúdos remetem para a Enfermagem de Saúde Familiar (p.e., quais as competências do EEESF, qual o seu impacto na saúde da família); Informações relativas a um tópico à escolha (p.e. dia/ semana da amamentação; dia da família; cuidados a ter com o idoso no período do Verão ou Inverno…); Frases motivacionais no sentido de criar empatia com o consumidor de conteúdo; testemunhos reais dos membros das famílias.

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...