A dedicação da UBI no desenvolvimento da Investigação multidisciplinar

A história da Universidade da Beira Interior teve inicio já em 1973, com o nascimento do Instituto Politécnico da Covilhã, que, mais tarde, viria a transformar-se na Universidade que hoje em dia conhecemos. Além da grande expansão evidente da academia que tem vindo a acontecer, a UBI tem também demonstrado um grande empenho no que toca ao desenvolvimento da investigação, nas diferentes áreas que leciona. Sílvia Socorro, atual Vice-reitora da UBI, descreve o funcionamento das 18 unidades de investigação que complementam o ensino da instituição. 

Sílvia Socorro, Vice-reitora da UBI

A Universidade da Beira Interior (UBI) tem como eixos centrais da sua missão a promoção da qualificação de alto nível e a produção de investigação de qualidade, que potencie a inovação e a transferência de conhecimento.

A investigação realizada na UBI caracteriza-se por cruzar diferentes áreas do conhecimento, com as várias unidades de investigação associadas às Faculdades de Engenharia, Ciências, Ciências Sociais e Humanas, Artes e Letras e Ciências da Saúde. Das 18 unidades de investigação e polos, 13 obtiveram a classificação de Muito Bom ou Excelente no último processo de Avaliação das Unidades de I&D da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Com uma comunidade de investigadores dinâmica e vibrante, a investigação da UBI tem vindo a afirmar-se no contexto nacional e internacional. Com um número crescente de publicações científicas ao longo dos anos, que quase quintuplicou entre 2009 e 2022, o reconhecimento do mérito é bem evidente quando se analisa o número de publicações ponderado relativamente ao número de citações. Nesta situação a UBI sobe a posição nos rankings comparativamente aquando se consideram apenas os números totais de publicações. A solidez do percurso que tem vindo a ser construído é também demonstrada quando observamos que, a par do aumento dos números totais, tem havido igualmente incremento no número de artigos por doutor e na percentagem de artigos publicados em revistas científicas indexadas no primeiro quartil.

Mas além dos indicadores bibliométricos, é determinante a relevância da investigação no contexto societal e da sua contribuição para o bem-estar humano. A este nível, a UBI distingue-se pelo seu forte compromisso com a região e pelo facto da sua investigação ter impacto direto na sociedade, com a resolução de problemas e necessidades das populações. São vários os exemplos de investigação de qualidade, colaborativa e multidisciplinar passiveis de elencar em estreito alinhamento com os Objetivos para o Desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas e as 5 Missões do programa-quadro de investigação e inovação da Comissão Europeia para 2021-2027. A referir, a investigação no domínio das alterações climáticas, incêndios florestais, neutralidade carbónica, tecnologias verdes e energias renováveis, equilíbrio e qualidade dos solos, recursos hídricos e alimentos, saúde e bem-estar para todos, nomeadamente, no combate ao cancro, assim como no domínio da mitigação das desigualdades socioeconómicas. Globalmente, a UBI e a sua investigação são elementos diferenciadores no tecido económico e social da região com potencial de fomentar o desenvolvimento de serviços e empresas de base tecnológica, assim como, o estabelecimento de polos de inovação e centros de desenvolvimento tecnológico.

É também imagem de marca da UBI, a sua ação na esfera da transferência de conhecimento e inovação. O número de patentes concedidas tem também aumentado ao longo dos anos. A UBI é parceira em diversos polos de inovação e várias Agendas Mobilizadoras para a Investigação e a Inovação Empresarial do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR). No culminar do fluxo do desenvolvimento tecnológico, a UBI tem uma aceleradora/incubadora, a UBImedical|UBIexecutive que acolhe empreendedores e empresas inovadoras de base tecnológica.

Embora localizada numa região do interior, a UBI é uma universidade virada para o mundo. A sua produção científica, entre 2019 e 2022, foi realizada em colaboração com cerca de 1600 universidades e centros de investigação internacionais distribuídos por 4 continentes.

A UBI é também membro fundador da Aliança de Universidades Europeia UNITA – Universitas Mountium, juntamente com universidades da Roménia, França, Itália e Espanha. Esta aliança pretende ser um espaço para o desenvolvimento de uma nova visão do ensino superior europeu, nomeadamente de construção de políticas de investigação comuns, contribuindo para o desenvolvimento das zonas transfronteiriças de montanha onde se encontra inserida.

É este o ambiente envolvente em que é desenvolvida a nossa investigação, da UBI, no território, para o mundo!


Professor Paulo Moniz, Coordenador do CMA

CMA-UBI

O CMA-UBI é uma unidade de investigação sediada na Universidade da Beira Interior, tendo obtido a classificação de Muito Bom na última avaliação realizada pela FCT. Orientamo-nos pela qualidade, internacionalização, multidisciplinaridade, pós-graduação e divulgação pública. Os nossos objetivos estratégicos assumem uma aposta inequívoca na investigação científica em matemática, as suas aplicações e física teórica. Em particular: Sistemas Dinâmicos, Álgebra e Geometria, Gravitação e Cosmologia, Probabilidade e Estatística, e Análise Numérica e Equações Diferenciais.  As nossas publicações científicas estão elencadas em https://cma.ubi.pt/publications/.

Contamos com o apoio de um Conselho Consultivo composto por especialistas internacionais nas áreas representativas do nosso trabalho científico. O CMA-UBI organiza seminários regulares, com palestrantes internos e externos (http://www.mat.ubi.pt/category/seminarios/), cursos e conferências internacionais (https://cma.ubi.pt/category/scientific-meetings/).

O CMA-UBI apoia dois programas de doutoramento na UBI: o Doutoramento em Matemática e Aplicações e o Doutoramento em Física.

Embora o núcleo principal da sua investigação seja de natureza fundamental, muitos dos seus membros integrados, sobretudo em estatística, têm colaborações regulares com unidades de investigação em diferentes áreas, nomeadamente nas ciências da saúde.

O CMA-UBI numa única palavra? Notável.


Professor Paulo Fiadeiro,
Coordenador do FibEnTech

FibEnTech-UBI: Fiber Materials and Environmental Technologies

A unidade Fiber Materials and Environmental Technologies (FibEnTech-UBI) da Universidade da Beira Interior desenvolve atividades de investigação e inovação integradas no projeto estratégico intitulado “Development of bio-based, waste-based and biodegradable fibrous materials with new functionalities” e tem apoio financeiro da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), I.P./MCTES, através de fundos nacionais (PIDDAC).

A forte ligação ao tecido empresarial, nos setores da celulose e do papel, do têxtil, e das tecnologias ambientais, possibilita juntamente com os parceiros a identificação e resolução de problemas numa abordagem científica, tecnológica e ambiental.

Atenta os desenvolvimentos tecnológicos na produção sustentável, (re)aproveitamento de recursos e criação de novos produtos a FibEnTech-UBI está alinhada com o “Desenvolvimento sustentável e a inovação empresarial” com a sua participação em consórcios no Programa de Recuperação e Resiliência (PRR), em várias Agendas Mobilizadoras para a Investigação e a Inovação Empresarial, através dos seguintes projetos com financiamento assegurado:

  • FF2F From Fossil to Forest – Embalagens e produtos sustentáveis ​​para substituir o plástico fóssil;
  • Lusitano – Reutilização de efluentes têxteis fortemente poluídos;
  • Carbo2Soil – Reforçar a complementaridade entre agricultura e pecuária para aumentar a fertilidade dos solos e a sua capacidade de sequestro de carbono;
  • Giatex – Gestão Inteligente da água na ITV;
  • Wine4H2 – Sustentabilidade do setor vitivinícola: Produção de hidrogénio verde a partir de efluente vitivinícola;
  • Wine4H2 – Sustentabilidade do setor vitivinícola: Produção de hidrogénio verde a partir de efluente vitivinícola.

Professor Paulo Oliveira, Coordenador do C-MAST

Centro de Ciências e Tecnologias Mecânicas e Aeroespaciais (C-MAST)

O Centro de Ciências e Tecnologias Mecânicas e Aeroespaciais (C-MAST), criado em 1994, desenvolve estudos em Engenharia Mecânica e Aeroespacial, desde a Astrodinâmica à Energia e Estruturas. Conta com 63 elementos dos quais 22 integrados e organiza-se em 2 grupos de investigação: AeroMaS Materiais e Estruturas Aeroespaciais, com investigação nos temas: Estruturas e sistemas espaciais; Compósitos, estruturas e nanotecnologias; Materiais multifuncionais, sustentabilidade e inovação.

Estes materiais nano estruturados apresentam elevado potencial de utilização em aplicações estruturais avançadas e a investigação em fadiga e fratura tem impacto de 4% do PNB na Europa; EnerMeF Energia e Mecânica de Fluidos, tendo como tópicos de pesquisa: Otimização de sistemas energéticos; Transferência de Calor e Sistemas Térmicos; Aerodinâmica e sistemas de propulsão aeroespacial; Modelos computacionais para reologia e magnetohidrodinâmica. Neste grupo, modelos numéricos mais sofisticados têm sido reconhecidos internacionalmente e identificados novos fenómenos da dinâmica de fluidos. Nos sistemas energéticos, vários projetos aplicados têm contribuído para a produção e distribuição agrícola na região. Existem 2 linhas temáticas transversais: Sistemas Espaciais, que estuda o funcionamento de satélites e dinâmica orbital, e Otimização da Produção e Inovação Tecnológica. A missão do C-MAST é realizar investigação de alto nível, promover a colaboração internacional na investigação, melhorar o desenvolvimento regional, nacional e da EU, formar investigadores em programas de mestrado, doutoramento e pós-doutoramento promovendo o emprego científico e promover a cultura científica com atividades de sensibilização.


Professora Anabela Alves, Coordenadora do LabCom

LabCom

Faculdade de Artes e Letras da Universidade da Beira Interior (UBI), cujo objetivo é desenvolver investigação avançada em tecnologias de comunicação e novos meios, especialmente ligados aos processos online e digitais, para avaliar o seu impacto na vida quotidiana e compreender os fenómenos de comunicação a nível individual, comunitário e social. A unidade conta com 59 investigadores integrados, 65 colaboradores de outras seis instituições, além de doutorandos organizados em dois grupos de pesquisa: Comunicação e Media, e Artes.

Ainda nos anos 1990, o LabCom lançou uma Biblioteca Online de Ciências da Comunicação (BOCC), contribuindo para a divulgação internacional dos trabalhos de autores portugueses e brasileiros, e o jornal académico online Urbi et Orbi, um laboratório de prática jornalística para os estudantes. Este pioneirismo antecipou questões importantes, como o acesso aberto às publicações científicas, permitindo projetar o trabalho da unidade internacionalmente, com destaque para países como Brasil e Espanha.

A unidade engloba a Editora LabCom, as revistas científicas Eikon, Doc Online, Recensio, Rhêtorikê e Estudos em Comunicação, indexada na Scopus, e os projetos Mediatrust.Lab, Speculum e ObCOM, financiados pela FCT. Manter-se como referência nacional e internacional, ajudar a consolidar a área das Artes e aprofundar a internacionalização estão entre as metas do LabCom.

Hiperligações disponíveis para mais informações:

https://labcomca.ubi.pt/

http://bocc.ufp.pt/

https://urbietorbi.ubi.pt/

https://labcomca.ubi.pt/publicacoes/editora-labcom/

https://mediatrust.ubi.pt/

https://speculum.labcom.ubi.pt/speculum/?fbclid=IwAR0V_svHhETXiBLi76MJSkjG7EQyvFVDQVLREkmURuCmI4bBaBphIu3mwMU

https://labcomca.ubi.pt/investigacao/obcom/


Professor Luis Taborda Barata, Coordenador do CICS

CICS-UBI – Centro de Ciências em Saúde da Universidade da Beira Interior

No CICS-UBI, desenvolvemos investigação interdisciplinar entre a Biomedicina e a Biotecnologia. O foco principal são as doenças com elevado impacto na saúde humana, nas quais estudamos os mecanismos moleculares subjacentes, identificamos biomarcadores e desenvolvemos ferramentas inovadoras e mais eficazes para enfrentarmos os principais desafios na prevenção, diagnóstico, monitorização e tratamento.

O CICS-UBI tem um papel fulcral na inovação científica, na formação de jovens investigadores, na transferência do conhecimento e na interação com a comunidade, com contribuições significativas para o desenvolvimento regional e a investigação científica nacional e internacional. Está fortemente envolvido em colaborações e redes com a academia e a indústria nacional e internacional, a governança e a sociedade em geral.

A nossa investigação centra-se em doenças neurológicas, infeciosas, respiratórias, endócrinas e em certos tipos de cancro, numa perspetiva que vai “da molécula à comunidade e da comunidade à molécula”, com forte pendor translacional. Envolve investigadores com reconhecimento nacional e internacional em projetos interdisciplinares. Um exemplo é o projeto ICON (“Interdisciplinary Challenges on Neurodegeneration”) que visa investigar novos marcadores de risco de neurodegenerescência e analisar a influência de contaminantes ambientais nas doenças neurodegenerativas.

O CICS-UBI também tem dado fortes contributos para: a) o desenvolvimento de formas inovadoras de nanofármacos e novas formas de disponibilização biológica de fármacos; b) o estudo de propriedades antimicrobianas de produtos naturais, mecanismos de resistência e de infeção; c) a compreensão de biomarcadores de risco de cancros hormono-dependentes; de mecanismos de neurogénese e neuroprotecção; de diferentes fenótipos de asma e fatores preditivos de agudizações da doença.     


Professor Daniel Marinho, Coordenador do CIDESD

Centro de Investigação em Ciências do Desporto, Ciências da Saúde e Desenvolvimento Humano da Universidade da Beira InteriorCIDESD

O Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) é uma unidade de I&D que resulta de um consórcio entre diferentes instituições de ensino superior. A sua missão centra-se no desenvolvimento de recursos humanos capazes de criar e monitorizar intervenções de nível avançado no âmbito das ciências do desporto, atividade física, exercício e saúde, estando articulado em três grandes áreas: investigação, transferência de conhecimentos e formação e educação.

Os projetos de investigação e atividades do CIDESD são articulados em três comunidades de investigação: a) STRONG: focado na descrição e predição do movimento humano e sua relação com o desempenho desportivo, através da análise de modelos fisiológicos e biomecânicos capazes de descrever e prever o comportamento humano e sua relação com o desempenho desportivo. Além disso, há uma ênfase na dinâmica computacional de fluidos aplicada às atividades aquáticas e populações especiais; b) CreativeLab: focado no desenvolvimento de indicadores de desempenho relacionados com o comportamento coletivo humano e à criatividade nos desportos, ajudando a explicar os mecanismos que regulam o processo de tomada de decisão e contribuindo para a compreensão da complexidade da mente humana; c) GERON: este programa é focado na relação entre atividade física, exercício e saúde ao longo da vida, com ênfase particular no envelhecimento e nas doenças crónicas.

O Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano é apoiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação Para a Ciência e Tecnologia (UIDB/04045/2020).


Professor António Cardoso, Coordenador do CISE

CISE – Centro de Investigação em Sistemas Eletromecatrónicos

A atividade do CISE – Centro de Investigação em Sistemas Eletromecatrónicos congrega três áreas distintas da engenharia: eletrotécnica, mecânica e eletrónica. Os objetivos gerais do seu plano estratégico encontram-se focados nas áreas de atividade científica do diagnóstico de avarias, tolerância a falhas, fiabilidade, eficiência energética, gestão de ativos, controlo, dimensionamento e caracterização de máquinas elétricas, conversores de potência e redes de energia elétrica, aplicados a sistemas de trigeração de energia, fontes de energia renovável, veículos elétricos, ambientes industriais, entre outros.

Apesar de assumir como papel principal o desenvolvimento de atividade de investigação, o CISE procura incessantemente a implementação prática do conhecimento adquirido, extravasando assim o domínio da academia. De facto, tem vindo a estabelecer novas colaborações e, ao mesmo tempo, consolidar colaborações estratégicas já existentes. Estas envolvem parceiros de renome da indústria global (Yaskawa, WEG, Reel e KSB) e entidades independentes (Impact Energy AG, Suiça e 2050 Partners Inc., EUA).

Alinhado com os seus objetivos estratégicos, que definem o forte compromisso com a realização de atividades de disseminação e promoção da cultura científica e tecnológica, o CISE deu início à organização da edição 2026 da International Conference on Electrical Machines (ICEM), considerada a maior conferência internacional inteiramente dedicada à temática de máquinas elétricas.


Professor Ricardo Rodrigues, Coordenador do NECE

NECE-UBI Research Centre for Business Sciences

O NECE-UBI Research Centre for Business Sciences é um centro de investigação do Departamento de Gestão e Economia da Universidade da Beira Interior (UBI), classificado pela FCT com Muito Bom e afirma-se como uma unidade de investigação de referência no campo das ciências empresariais. Em 2022 os investigadores publicaram internacionalmente 343 documentos científicos.

O NECE-UBI, integra atualmente 166 membros. Sendo que as mulheres representam 53,3% dos membros, dos quais 23,5% são estrangeiros. 

Através de abordagens inovadoras, tais como as neurociências aplicadas ao comportamento, o NECE integra tópicos da atualidade como o desenvolvimento sustentável, circularidade, ética, os impactos ambientais, a inclusão social e a equidade de género. A investigação inclui uma forte e sustentável base de formulação teórica e aplicação prática através da participação em Projetos de Investigação nacionais e internacionais.

O NECE-UBI tem à disposição espaços, equipamentos e software (SPSS, SmartPLS, NVivo, Stata, E-views, etc.) para auxiliar o desenvolvimento de investigação. A integração de investigadores com origem científica na Gestão e na Economia promove uma investigação abrangente, maioritariamente internacional, interdisciplinar com foco na realidade Empresarial.

Agenda 2023

NECE_Training

SPSS | 9-10 Fev.

NVIVO | Abr.

R | Jun.

Bibliometria | a definir

Research Sessions

QCA (Qualitative Condition Analisys) (online) | 22 Fev.

MaxQDA (online) | 22 Mar.

Eventos

SLEEE + WIN | 8-10 Nov.

IECER | Out.

International Congress on Public and Nonprofit Marketing | 2024


Professora Ana Santos, Coordenadora do PRAXIS

Praxis – Centro de Investigação, Política e Cultura

O Praxis – Centro de Investigação, Política e Cultura é uma unidade de investigação de Filosofia sediada na Universidade da Beira Interior e com um polo na Universidade de Évora, cobrindo assim o território interior do país e unindo a investigação filosófica das duas universidades e dos respetivos cursos de doutoramento.

Desde a sua origem, o Praxis tem sido uma unidade de referência para os estudos fenomenológicos em Portugal, dedicando-se a diferentes dimensões da filosofia prática, organizadas em três grupos de trabalho: ética; política, sociedade e religião; fenomenologia e cultura. A sua equipa, composta por 32 investigadores integrados, inclui filósofos, cientistas políticos e estudiosos de cultura.

Entre as suas atividades contam-se, por exemplo, as edições do colóquio de ética animal e ambiental, sob o signo da pergunta “Como viver juntos?”, das jornadas heideggerianas de Évora, e os congressos internacionais sobre cultura. Recentemente, coorganizou o Congresso IberoAmericano de Filosofia, pela primeira vez realizado em Portugal, e está a preparar a organização do congresso nacional da Associação Portuguesa de Ciência Política.

O centro valoriza ainda a publicação em livro, dinamizando três coleções, uma delas luso-brasileira.

Num tempo em que as questões filosóficas entraram no nosso quotidiano e a responsabilidade da comunidade filosófica é acrescida, o Praxis propõe-se contribuir, com a interdisciplinaridade que o caracteriza, para o pensamento crítico e a ação consequente.


Professor André Silva, Coordenador do AEROG

Aeronautics and Astronautics Research Center (AEROG)

O Aeronautics and Astronautics Research Center (AEROG) é uma unidade I&D do Laboratório Associado em Energia, Transportes e Aeronáutica (LAETA) sediada na Universidade da Beira Interior.


A investigação produzida pelo AEROG tem uma contribuição inequívoca e complementar para o LAETA nas esferas da aeronáutica e do espaço. Na vertente do espaço, o foco recai em áreas como a estabilização de satélites, satélites ativos e passivos, e segurança planetária.

Na vertente da aeronáutica, desenvolvem-se trabalhos na área de energia e propulsão, sobretudo de transporte aéreo, com grande enfoque na emissão de poluentes e redução de consumo de combustível. Mais recentemente, o AEROG tem desenvolvido atividades de investigação em combustíveis sustentáveis para a aviação, tendo como objetivo reduzir as emissões de CO2 e, deste modo, obter um crescimento neutro em carbono a partir de 2020, e uma redução de 50% nas emissões líquidas até 2050, em comparação com os níveis de 2005.
Atualmente, no AEROG, decorrem trabalhos de modelação: de condições transcríticas e supercríticas relevantes para motores foguetes líquidos (LRE – Liquid Rocket Engines); da combustão de misturas de Jet-Fuel e biocombustíveis;
e, com o objetivo de contribuir para a descarbonização do transporte aéreo, têm sido realizados trabalhos com nano-combustíveis, isto é, nano-biocombustíveis, onde ao biocombustível é adicionado nanopartículas de alumínio.
Para o AEROG, um dos principais objetivos para 2023 é a renovação da classificação de excelente, obtida na última avaliação realizada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...