O papel de excelência do GreenUPorto na I&D em Produção Agroalimentar Sustentável

Como o primeiro centro de Investigação português focado na cadeia de valor da horticultura, o GreenUPorto, Centro de Investigação em Produção Agroalimentar Sustentável, tem como missão contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico e transferência de conhecimento no setor agroalimentar e ambiental.

Desde 2020 que a I&D em Portugal conta com um centro de investigação especialmente focado na cadeia de valor da horticultura: o GreenUPorto. Integrado na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP), na sua missão enquanto Unidade de Investigação e Desenvolvimento, o centro tem como objetivos a promoção da especialização inteligente e da sustentabilidade nos setores agronómico, alimentar e ambiental, através da integração e transferência de resultados de investigação de alto nível, e do contributo para a formação pós-graduada da nova geração de profissionais no setor.

Acolhendo um elevado número de estudantes em ciências agrárias, biologia ou ambiente, em colaboração com a FCUP, o GreenUPorto contribui para o rejuvenescimento do mercado de trabalho na área agroalimentar através da formação especializada, sob a perspetiva de “produzir mais com menos” (água, fertilizantes, pesticidas), e de produzir produtos diferenciados com elevado valor acrescentado e grande competitividade em mercados externos altamente exigentes.

No cumprimento da sua missão, o GreenUPorto procura estabelecer uma forte interação com um leque alargado de stakeholders e autoridades públicas regionais, nacionais e europeias, na contribuição para a implementação das políticas públicas e de estratégias na promoção do setor. Neste contexto, desde 2022 que o GreenUPorto aliado ao CITAB – Centro para a Investigação e Tecnologia das Ciências Agro-ambientais e Biológicas (UTAD) integra o Laboratório Associado Inov4Agro – Instituto de Inovação, Capacitação e Sustentabilidade da Produção Agroalimentar (https://Inov4Agro.pt), reconhecido pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, visando um papel interventivo na região Norte do país, suavizando desigualdades regionais entre o litoral do país e os territórios de baixa densidade do interior.

Reconhecimento tangível e intangível

Comprovando a relevância do GreenUPorto para o setor, o reconhecimento dos nossos trabalhos tem crescido, o que nos garante lugar em consórcios de renome, nacionais e europeus, liderados por reconhecidos centros de investigação. Tem sido reforçada a capacitação das nossas infraestruturas e equipamentos, e aumentada a nossa rede de parcerias internacionais e com produtores e atores do tecido empresarial. Mas queremos chegar ainda mais longe, assumindo um papel cada vez mais ativo nas decisões políticas nacionais e europeias.

As atividades de I&D do GreenUPorto, no seio de uma equipa multidisciplinar de investigadores que inclui agrónomos, biólogos, engenheiros alimentares e nutricionistas com fortes valências em áreas relevantes para o setor, como biologia e fisiologia das plantas, biotecnologia, avaliação e proteção da qualidade ambiental, avaliação de risco de solos contaminados e de novos compostos químicos, avaliação de preferências do consumidor, entre outras, revelam a qualidade do centro, a par da classificação de ”Excelente” atribuída pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

 Um propósito: agricultura mais sustentável

A investigação do GreenUPorto organiza-se em três linhas temáticas: Linha 1 – Biologia das Plantas, Produção e Pós-colheita; Linha 2 – Qualidade Ambiental e Avaliação de Risco, e Linha 3 – Processamento, Valorização, Consumo e Nutrição Humana. Nas diferentes linhas, o GreenUPorto trabalha, em conjunto com vários parceiros, no intuito da transição para uma agricultura mais sustentável, através de projetos de investigação que contribuem para a sustentabilidade da produção agroalimentar nas suas três vertentes: ambiental, económica e social.

Como exemplo de projetos em curso, destacamos o “BFree – Biocontrolo de frutos e de legumes” (PRR). Liderado pelo GreenUPorto, visa explorar o papel dos microrganismos endófitos (naturalmente presentes nos tecidos vegetais) como agentes de biocontrolo, de modo a reduzir a aplicação de fungicidas de síntese em frutas e legumes, melhorando a qualidade dos produtos e reduzindo o impacte ambiental. O seu consórcio integra o INIAV, COTHN-CC, FNOP e Proenol, a par de 10 Organizações/ Produtores /Produtores Individuais nacionais.

O projeto “ProCardo: Caracterização das proteinases aspárticas de Cardo na promoção do queijo da Serra” (Promove BPI-La Caixa) pretende aprofundar o conhecimento dos processos bioquímicos e moleculares na produção do queijo da Serra da Estrela, que depende da utilização de enzimas obtidas a partir de flores de cardo, e cuja compreensão do comportamento é relevante dado o seu papel na textura e sabor deste queijo, um produto marcadamente nacional e reconhecido mundialmente.

No desenvolvimento de estratégias para responder às alterações climáticas, o projeto “CC&NUTS: Castanheiro vs Alterações Climáticas” (PROMOVE, FCT, BPI, Fundação “la Caixa”), liderado pelo GreenUPorto e FCUP, e com colaboração da UTAD, Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e DEIFIL, pretende testar diferentes variedades de castanheiro do Parque Natural de Montesinho sob condições de secura e calor, de modo a selecionar as que têm maior potencial para se adaptarem às alterações climáticas.

Ainda na linha de alterações climáticas, o projeto PHENET (https://www.phenet.eu/en): Tools and methods for extended plant PHENotyping and EnviroTyping services of European Research Infrastructures (HORIZON-INFRA-2022-TECH-01-01, ref. 101094587), coordenado pelo INRAE (França) e com 29 parceiros europeus, visa a transição para a agroecologia, resiliente às alterações climáticas. Este projeto conta com o suporte de infraestruturas europeias, que suportam diferentes casos de estudo. O GreenUPorto, em colaboração com a Universidade de Boku (Áustria), integra atividades na validação da utilização de um sensor portátil para quantificar de carbono orgânico no solo em profundidade, e fenotipagem de raízes.

O projeto europeu WheatBiome (HORIZON-CL6-2022- -FARM2FORK-01-09, ref. 101084344) (https://www. wheatbiome-project.eu/) visa a compreensão da relação entre microbioma do solo/ rizosfera/ planta, e a qualidade do grão produzido. Nas tarefas coordenadas pelo GreenUPorto inclui-se o estudo do efeito dos tipos de solo, práticas agrícolas e variedades de trigo, no microbioma do solo e da planta, a par do estabelecimento de um consórcio de microrganismos capaz de melhorar o desempenho da planta (e.g. em solos pobres) e a qualidade do trigo.

Ligado à transição para um comportamento alimentar saudável, o projeto “MEDDIETMENUS4CAMPUS: Promoting Stakeholder Adherence To Mediterranean Diet In Campus Through Social Marketing Strategies” (PRIMA) conta com parceiros em Espanha, Croácia e Turquia, e reúne especialistas em nutrição, saúde pública, alimentação, tecnologia alimentar, gastronomia, psicologia e marketing, no objetivo de identificar a conformidade dos menus servidos nas cantinas de estabelecimentos de ensino superior públicos com a Dieta Mediterrânica, identificando oportunidades de intervenção.

Além das fronteiras europeias, participamos no projeto europeu VITAGLOBAL, visando a transferência de conhecimento na área da Vitivinicultura e do Enoturismo de universidades europeias para universidades da Argentina, Chile, Uruguai, África do Sul e Geórgia. É a integração do GreenUPorto em consórcios e projetos deste tipo que nos permite manter na linha da frente da inovação europeia no setor.

Capacitação e fixação de profissionais do setor

 Na aposta pela capacitação de profissionais no setor, o GreenUPorto tem desenvolvido formações, como é exemplo o curso ”Capacitação para uma Gestão Sustentável do Solo” (https://edc.fc.up.pt/fc/capacitacao- -para-uma-gestao-sustentavel-do-solo/), com candidaturas abertas neste momento. Integramos ainda o projeto AgriFood4Future (ERASMUS+), com o objetivo de desenvolver programas de formação profissional e educacional que atendam às necessidades da agricultura do futuro. No projeto, estamos a organizar a constituição de um COVE (Center of Vocational Excelence) nacional, juntamente com o Laboratório Colaborativo Food4Sustainability, ISQ, e BGI, com vista ao levantamento das necessidades de formação e planeamento de conteúdos educativos.

Autor: Miguel Santos, investigador GreenUPorto

Como perspetivas para o futuro, o GreenUPorto pretende dar continuidade ao cumprimento da sua missão e objetivos, cimentando a excelência nas suas atividades de I&D, através do significativo envolvimento com a sociedade e captação de mais projetos, estudantes e investigadores, estando o GreenUPorto a analisar todas as possibilidades na fixação de investigadores de carreira. Serão ainda continuadas as atividades do LA Inov4Agro, em conjunto com o CITAB. Tendo em conta o atual processo de avaliação das Unidades de I&D nacionais pela FCT, o GreenUPorto estará também focado em consolidar a classificação de Excelente anteriormente atribuída.

Saiba mais sobre o GreenUPorto, os nossos projetos e iniciativas, seguindo-nos nas redes sociais e website www.fc.up.pt/GreenUPorto/, ficando desde já o nosso convite para que tome parte ativa nos mesmos!

Deixe um comentário

Outra Perspetiva

Tradição aliada à Inovação nas Línguas, Literaturas e Culturas

O Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas (DLLC) da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, reconhecido pela sua tradição...

Ciências do Desporto e Educação Física apostam na Investigação

A nova direção da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra (FCDEFUC) completou um ano...

Inovação e Excelência, um retrato do Departamento de Química

Em entrevista, Artur Valente, diretor do Departamento de Química da Universidade de Coimbra (DQUC) explica como os cursos pioneiros da...

Ensino de Vanguarda na Engenharia Mecânica

Disponibilizar uma oferta formativa universal, que seja capaz de tornar os alunos uma referência além-fronteiras, e continuar na linha da...

Um ensino de excelência da Engenharia Química

Formar as futuras gerações de Engenheiros Químicos com uma sólida e abrangente capacidade técnica e com aptidões interpessoais desenvolvidas é...